A DÁDIVA DA AGRESSÃO

Autores

  • Maria Socorro Lacerda Lima UFPA

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-6524.10096

Palavras-chave:

Dádiva, índios Tupinambá, Guerra e Potlatch

Resumo

No contexto da guerra tupinambá corpos, troféus, mulheres, crianças, nomes, palavras, identidades, agressões, ofensas e muitas outras riquezas materiais e imateriais se constituem em elementos de troca que circulam perpetuamente entre grupos inimigos. Mas, ao contrário do que ocorre no Potlatch realizado no noroeste americano, em que a aliança estabelece uma relação mútua de prestações entre grupos não inimigos, no contexto da guerra Tupi o sistema de trocas baseia-se exatamente na relação hostil entre grupos contrários. O objetivo do presente artigo é tecer um paralelo entre o complexo antropofágico dos índios Tupinambá e o Potlatch estabelecido entre as sociedades do Noroeste Americano analisadas por Marcel Mauss.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Socorro Lacerda Lima, UFPA

Graduada em História pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Atualmente, aguardando defesa de Dissertação de Mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (ênfase em Antropologia) da UFPA.

Downloads

Publicado

2009-12-31

Como Citar

LACERDA LIMA, M. S. A DÁDIVA DA AGRESSÃO. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 3, n. 2, p. 162, 2009. DOI: 10.22456/1982-6524.10096. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EspacoAmerindio/article/view/10096. Acesso em: 31 jan. 2023.

Edição

Seção

ENSAIOS BIBLIOGRÁFICOS