Sistema de avaliação da CAPES: indicadores e procedimentos de monitoramento e avaliação de desempenho

Autores

  • Ediane Maria Gheno Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Regina Maria Guaragna Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Luiz Felipe Sfoggia da Mata Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Lucimara Figueira Duarte Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Diogo Onofre Souza Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Luciana Calabró Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245253.184-213

Palavras-chave:

Sistema de Avaliação da Pós-Graduação. Formação de recursos humanos. Nucleação. Bibliometria. Cientometria

Resumo

O Sistema de Avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) exige dos Programas de Pós-Graduação constante reflexão sobre o desempenho recomendado e o alcançado. Diante da importância de informações para subsidiar o planejamento, este artigo objetiva apontar novos indicadores e procedimentos que poderiam contribuir para aprimorar as políticas de avaliação da CAPES nos Quesitos três (Corpo Discente, Teses e Dissertações) e cinco (Inserção Social). É um estudo metodológico, elaborado a partir de um monitoramento e avaliação, 2007-2016, aplicando Análise Documental e indicadores bibliométricos/cientométricos, tendo o Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas: Bioquímica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul como um estudo de caso. Para isso buscou: analisar o desempenho do Programa com base nas diretrizes da Área Ciências Biológicas II; avaliar a nucleação de egressos nas Instituições de Ensino Superior; identificar as medidas corretivas e avaliar, através da produção científica, o impacto das Portarias (Portarias dos 8) que recomendam no máximo oito discentes por docente. Para atingir os objetivos, apresentam-se três procedimentos e um novo indicador científico. Os procedimentos aprimoraram a avaliação sobre as contribuições do Programa para a nucleação e sobre o perfil da formação dos egressos. O outro procedimento está relacionado à gestão, que identifica os efeitos da avaliação da CAPES pelas medidas corretivas. O indicador de coautoria discente/docente aponta a inviabilidade das Portarias dos 8, pois o número de discentes por docente não afeta a produção científica por discente. Os procedimentos e o indicador de coautoria podem ser utilizados como parâmetros adicionais à avaliação da CAPES, contribuindo no aprimoramento da Avaliação Institucional dos Programas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ediane Maria Gheno, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Letras pela Faculdade Porto-Alegrense (2009) e mestrado em Educação em Ciências Quìmica da Vida e Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2015). Atualmente é graduanda em Biblioteconomia e doutoranda em Educação em Ciências (UFRGS). Tem experiência na área de Letras e Ciência da Informação (Biblioteconomia), atuando principalmente nos seguintes temas: Educação e divulgação Científica, avaliação institucional e Cientometria.

Regina Maria Guaragna, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Faculdade de Farmácia-Bioquímica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1977), mestrado em Ciências Biológicas (Bioquímica) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1981), doutorado em Ciências-Bioquímica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992) e pós-doutorado em Educação em Ciências (UFRGS) (2017). Atualmente é professor Associado IV da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Bioquímica, com ênfase em Lipídeos, atuando principalmente nos seguintes temas: obesidade, diabete do tipo 2, hormônios gastrointesinais (GIP, GLP-1, PYY), ácidos graxos, ácidos graxos trans, PPAR, sirtuina, célula estrelada hepática, lipídeos neutros, indometacina, resveratrol. Atualmente, trabalha com difusão da ciência na sociedade, avaliação institucional e formação filosófica dos professores de ensino básico e universitário, e alunos do PPG em Ciências Biológicas-Bioquímica, considerando sua importância em relação ao processo educacional.

Luiz Felipe Sfoggia da Mata, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Licenciando em Matemática na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atualmente é Educador Social no Projeto Social WImbelemdon - Educando com o Tênis, assim como Bolsista de Iniciação ao Ensino de Ciências(BIENC) pelo projeto: Virada da Educação em Ciências, no PPG em Ciências Biológicas: Bioquímica, da UFRGS. Tem experiência na área de Educação, com ênfase na formação de professores.

Lucimara Figueira Duarte, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Graduanda em Biblioteconomia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Bolsista de Iniciação Científica no PPG em Ciências Biológicas: Bioquímica, da UFRGS. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Biblioteconomia.

Diogo Onofre Souza, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Concluí meu curso de Medicina em 1971, na Universidade Católica de Pelotas. Iniciei, em 1972, minhas atividades como aluno e pesquisador em Bioquímica na UFRGS (Prof. Tuiskon Dick). Em 1976 concluí meu Mestrado na UFRJ (Prof. Leopoldo de Meis) e, em 1980, meu Doutorado na UFRJ (Prof. Iván Izquierdo). Em 1980-1981 fiz meu Pós Doutorado (CNPq) na University of London (Prof. Richard Rodnight) e em 1987/1988 fui Professor Visitante do Laboratório de Neurobiologia, Universidad Autónoma de Madrid (Prof. Galo Ramirez). Em 1994/1995 fui Professor Visitante no Laboratório de Bioenergética, Departamento de Bioquímica Médica, UFRJ (Prof. Leopoldo de Meis). Em 1998 fui Visiting Scientist, no Neurology Service, Veterans Affair Medical Center, CA, USA (Prof. Raymond Swanson). Já publiquei mais de 450 artigos científicos em revistas indexadas de circulação internacional, orientei inúmeras Teses de Doutorado, Dissertações de Mestrado e dezenas de alunos de Iniciação Científica. Esta atuação envolve basicamente a área de Neurociências, onde atuo longo de toda minha vida científica, trabalhando em injúria cerebral mediada por glutamato e neuroproteção exercida pelo nucleosídeo guanosina, abordando aspectos básicos e clínicos de doenças cerebrais. Mais recentemente, comecei a me envolver com a área de Educação em Ciências, onde orientei várias Teses de Doutorado e Dissertações de Mestrado. Recentemente liderei a criação de um PPG em Educação em Ciências na UFRGS, tendo sido seu primeiro Coordenador. Atualmente, sou revisor de artigos científicos em mais de 30 periódicos internacionais, indexados.

Luciana Calabró, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de Caxias do Sul (2001), mestrado em Educação em Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2008) e doutorado em Educação em Ciência pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2011). Atualmente é bolsista PNPD do Programa de Pós Graduação em Educação em Ciência na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Cientometria, Divulgação Científica e Educação.

Downloads

Publicado

2019-08-07

Como Citar

GHENO, E. M.; GUARAGNA, R. M.; DA MATA, L. F. S.; DUARTE, L. F.; SOUZA, D. O.; CALABRÓ, L. Sistema de avaliação da CAPES: indicadores e procedimentos de monitoramento e avaliação de desempenho. Em Questão, Porto Alegre, v. 25, n. 3, p. 184–213, 2019. DOI: 10.19132/1808-5245253.184-213. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/86490. Acesso em: 27 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)