Tecnicidade, teoria da informação e tradição no movimento zapatista de libertação nacional: das potências de um novo mundo (informacional) possível

Autores

  • Bianca Rihan Amorim PPGCI IBICT
  • Gustavo Silva Saldanha IBICT-UNIRIO

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245252.190-207

Palavras-chave:

Técnica, Informação, Simondon, Movimento Zapatista, Tecnomagia

Resumo

A partir de uma reflexão teórica com um aporte empírico de compreensão do mundo social, o trabalho procura colocar em jogo as questões que norteiam os polos da tecnofobia à tecnofilia, ou à pan-técnica, na contemporaneidade. Partindo centralmente da filosofia de Simondon, o eixo teórico visa a compreender uma noção de técnica orientada pela primazia dos encontros e para a infinidade da diversidade nos eventos de dentro e fora, que aparecem e desaparecem sucessiva e simultaneamente no plano informacional. Uma teoria simondoniana “da informação” nos abre as margens de composições capazes de produzir quaisquer configurações para os devires - potência geradora da vida, ou seja, a tessitura entre proximidades e afastamentos, matéria e energia que constantemente atravessam-se e atualizam-se nos esteios da individuação de humanos e não humanos. O eixo empírico encontra na experiência zapatista, ou seja, na produção de uma guerrilha autonômica, uma relação original e aberta, como a visão simondoniana da técnica, que não mantém o passado pré-capitalista nem as estruturas pré-modernas de forma intocável. Trata-se de reconhecer a tecnomagia como possibilidade de investigação no âmbito da interpenetração entre tecnologia e cosmovisões, um movimento teórico-social de uma comunidade em sua luta contra a dominação e contra a opressão institucionalizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bianca Rihan Amorim, PPGCI IBICT

Graduada em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF), mestra em história pelo Programa de Pós-Graduação em história da Universidade Federal Fluminense (PPGH-UFF), doutoranda em Ciência da Informação pelo convênio do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT)  e a Escola de Comunicação (ECO) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Gustavo Silva Saldanha, IBICT-UNIRIO

Doutor em Ciência da Informação pelo PPGCI IBICT UFRJ; Mestre em Ciência da Informação pelo PPGCI ECI UFMG; Especialista em Filosofia Medieval pela Faculdade São Bento do Rio de Janeiro; Bacharel em Biblioteconomia pela ECI UFMG.

Downloads

Publicado

2019-04-26

Como Citar

AMORIM, B. R.; SALDANHA, G. S. Tecnicidade, teoria da informação e tradição no movimento zapatista de libertação nacional: das potências de um novo mundo (informacional) possível. Em Questão, Porto Alegre, v. 25, n. 2, p. 190–207, 2019. DOI: 10.19132/1808-5245252.190-207. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/76703. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos