Corporeidade Discursiva na Imprensa Feminina: um estudo de editoriais

Autores

  • Adriana Braga

Palavras-chave:

Gênero feminino, corpo feminino, imprensa feminina

Resumo

O presente artigo trata da instituição de um padrão idealizado de corporeidade feminina operado nos discursos da chamada “imprensa feminina”. Tal proposição de sentido é analisada a partir dos editoriais de quatro revistas femininas veiculadas entre setembro de 2001 e fevereiro de 2002, nos quais o processo de construção da fotografia da capa é explicitado como estratégia discursiva, realizando em discurso a modelização de um corpo feminino “ideal”. Assim, na medida em que este processo midiático colabora e reforça matrizes culturais já existentes, articulo este fenômeno discursivo à problemática mais geral da definição social de papéis de gênero em nossa sociedade.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Braga

Bacharel em Psicologia pela Faculdade de Ciências Humanas (FCH), da Fundação Mineira de Educação e Cultura (FUMEC); bolsista do CNPq do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)

Downloads

Publicado

2006-12-09

Como Citar

BRAGA, A. Corporeidade Discursiva na Imprensa Feminina: um estudo de editoriais. Em Questão, Porto Alegre, v. 9, n. 1, p. 109–120, 2006. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/64. Acesso em: 4 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos