Representação semântico-discursiva de cibercordéis

Autores

  • Mário Gaudêncio Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA)
  • Maria Elizabeth Baltar Carneiro de Albuquerque Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245231.129-153

Palavras-chave:

Representação da Informação. Cibercordel. Semântica discursiva.

Resumo

Esta investigação teve por objetivo analisar a representação da informação dos cibercordéis por meio dos procedimentos semânticos de tematização e figurativização, elementos centrais do processo de indexação. O corpus para este artigo foram os cibercordéis que possibilitam o ambiente oportuno para serem tratados sob a ótica da representação informacional, por apresentar elementos textuais como temas, figuras, inspirações, anseios, motes, ou seja, as especificidades construídas através da poesia popular que, neste caso, se apropria da web para ser perpetuada no seio do ciberespaço. Da pesquisa, constatou-se que a representação da informação por meio da semântica discursiva se mostra como mais uma forma real para indexar os documentos. Por observar todas as suas particularidades textuais, aspectos concretos e abstratos, o enfoque na indexação, por meio da semântica discursiva enquanto concepção metodológica reduz significativamente a subjetividade inerente ao profissional da informação, além de se aproximar substancialmente da linguagem documentária por produzir uma constante troca interdisciplinar, relacionando figuras à linguagem natural e temas à linguagem artificial. Por esse motivo, os documentos entendidos como cibercordéis são passíveis de representação informacional, permitindo assim, potencializar uma recuperação da informação organizada de forma ágil e sistemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mário Gaudêncio, Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA)

Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Especialista em Gestão Educacional e da Criatividade pelas Faculdades Integradas de Patos (FIP). Bacharel em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Bibliotecário-Documentalista da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). Coordenador da Editora Universitária da UFERSA (EdUFERSA). Membro da Equipe Editorial da Revista de Informação do Semiárido e da Revista Caatinga. Tem experiência na área de Ciência da Informação atuando principalmente em temas como: Organização da Informação, Curadoria Digital, Literatura de Cordel, Cibercultura e Propriedade Intelectual.

Maria Elizabeth Baltar Carneiro de Albuquerque, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Professora do Departamento de Ciência da Informação e do Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba com Graduação em Letras pela Universidade Católica de Pernambuco (1983), Graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Pernambuco (1984), Mestrado em Biblioteconomia pela Universidade Federal da Paraíba (1992) e Doutorado em Letras pela Universidade Federal da Paraíba (2011). Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Biblioteconomia, atuando principalmente nos seguintes temas: Representação temática, Representação descritiva, Biblioteca Digital, Cultura Popular, Literatura Popular, Semântica Discursiva. Na graduação em Biblioteconomia ministra disciplinas em Representação Temática e Representação Descritiva. Na Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba, ministra a disciplina Representação da Informação e do Conhecimento. Recebeu o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade ? edição 2012, promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional ‐ IPHAN, em nível estadual, na categoria ?Pesquisa e Inventário de Acervos? com sua tese e recomendado ao prêmio em nível nacional. Obteve também o reconhecimento internacional de sua tese, sendo convidada pelo Consórcio CDU para participar da atualização da Classificação Decimal Universal.

Downloads

Publicado

2017-01-01

Como Citar

GAUDÊNCIO, M.; ALBUQUERQUE, M. E. B. C. de. Representação semântico-discursiva de cibercordéis. Em Questão, Porto Alegre, v. 23, n. 1, p. 129–153, 2017. DOI: 10.19132/1808-5245231.129-153. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/62701. Acesso em: 28 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos