Chapeuzinho Amarelo: um novo sentido para uma velha história

Autores

  • Martha E. K. Kling Bonotto

Palavras-chave:

Chapeuzinho Vermelho. Chapeuzinho Amarelo. Análise do Discurso. Polissemia Discursiva. Literatura Infantil.

Resumo

Chapeuzinho Amarelo é uma das reescrituras de Chapeuzinho Vermelho em que o diferente irrompe no discurso, produzindo sentidos novos - a polissemia. As tradicionais posições-sujeito do Lobo e de Chapeuzinho sofrem uma reversão total em função da mudança de sentido do medo. São analisadas as posições-sujeito bem como as imagens que as acompanham e que se mantêm no interdiscurso através das reescrituras parafrásticas. O Lobo, ocupando a posição de dominador, com suas características de maldade e agressividade; Chapeuzinho, ocupando a posição de dominada, com suas características de ingenuidade e impotência, sendo o lugar do medo determinante dessas posições. A partir da paródia de Chico Buarque, mostrase a desconstrução dessas imagens, o deslocamento dos sentidos através das pistas que se evidenciam na base lingüística e que fazem surgir a imagem de Chapeuzinho Amarelo, forte e dominadora e do Lobo, fraco e dominado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Martha E. K. Kling Bonotto

Mestre em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora Assistente no Departamento de Ciências da Informação da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS. Currículo Lattes

Downloads

Publicado

2006-12-09

Como Citar

BONOTTO, M. E. K. K. Chapeuzinho Amarelo: um novo sentido para uma velha história. Em Questão, Porto Alegre, v. 9, n. 1, p. 55–68, 2006. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/60. Acesso em: 17 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)