Os indicadores bibliométricos: virtudes e limites no contexto da avaliação em Ciência e Tecnologia

Autores

  • Raimundo Nonato Macedo Santos Universidade Federal de Pernambuco Departamento de Ciência da Informação

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245213.319-335

Palavras-chave:

Indicadores em ciência e tecnologia. Avaliação da produção cientí- fica. Bibliometria.

Resumo

O texto discute as bases necessárias para a formulação de Indicadores em Ciência e Tecnologia, suas virtudes e limites. Visto que quantificar é inerente ao ser humano, e que a aplicação dessa prática consistiu em um fator decisivo na constru- ção do conhecimento e do expressivo sucesso das ciências exatas e das engenharias, já no século XIX, é inimaginável aceitar que não exista consenso sobre como medir e avaliar a produção intelectual e acadêmica. Nisso reside a motivação deste trabalho; na necessidade de uma reflexão sobre as propriedades gerais, natureza, gênese e efeitos da prática de quantificar em face da inexistência de consenso. Como opção, propõe-se a conceituar Indicadores em Ciência e Tecnologia de forma mais ampla, “como modelo”. Assim, propõe-se um acordo, na concepção conceitual de “modelo”, para medir e avaliar a produção intelectual e acadêmica, que subsidie, adequadamente e com equidade, tomadas de decisão, particularmente, referente à meritocracia e aos investimentos em pesquisa e inovação nos campos das ciências duras, humanas e aplicadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raimundo Nonato Macedo Santos, Universidade Federal de Pernambuco Departamento de Ciência da Informação

Departamento de Ciência da Informação; Área de Ciência da Informação

Downloads

Publicado

2015-12-24

Como Citar

SANTOS, R. N. M. Os indicadores bibliométricos: virtudes e limites no contexto da avaliação em Ciência e Tecnologia. Em Questão, Porto Alegre, v. 21, n. 3, p. 319–335, 2015. DOI: 10.19132/1808-5245213.319-335. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/58451. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)