Entre o maior e o menor: sentidos políticos dos valores da Revolução Francesa na Trilogia das Cores, de Krzysztof Kieślowski

Autores

  • João Fabrício Flores da Cunha Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Alexandre Rocha da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

Comunicação, Cinema, Micropolítica, Kieślowski, Trilogia das Cores.

Resumo

Este artigo tem como objeto de estudo a Trilogia das Cores, do diretor polonês Krzysztof Kieślowski (1941-1996), composta por Azul (1993), Branco (1994) e Vermelho (1994). Realiza-se uma argumentação de caráter teórico sobre o posicionamento no campo político dos princípios da Revolução Francesa na Trilogia. O objetivo é compreender como os valores revolucionários são micropoliticamente trabalhados em cada um dos filmes que a compõe. Sustentado por uma ideia de "cinema menor", este artigo desconstrói as associações sugeridas pela tradução brasileira do título dos filmes ao evidenciar como, paradoxalmente, valores como liberdade, igualdade e fraternidade são experienciados transversalmente no cotidiano dos personagens, e contradiz seu diretor ao reconhecer a indissociabilidade das estratégias molares e moleculares que fazem desta trilogia uma expressão do cinema político do fim do século XX.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Fabrício Flores da Cunha, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

[Mestrando] em Comunicação Social pela Ufrgs. [Graduado] em [Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo], pela [Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)].

Alexandre Rocha da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Alexandre Rocha da Silva possui graduação em Comunicação Social (Jornalismo) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1994), mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1999), doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (2003), doutorado-sanduíche em Sémiotique - Centre d Étude de La Vie Politique Française (2002) e pós-doutorado na Universite de Paris III (Sorbonne-Nouvelle) (2005-6). Atualmente é pesquisador do CNPq e professor do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Semiótica, Audiovisualidades e Micropolíticas. Autor de A dispersão na semiótica das minorias e Comunicação e minorias, também participou da organização de livros, entre os quais Imagem e tecnologias da representação, Audiovisualidades da cultura, Do audiovisual às audiovisualidades: convergência e dispersão nas mídias. Atualmente é vice-coordenador do Grupo de Pesquisa Semiótica da Comunicação da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom) e coordena o Diretório CNPq Semiótica e culturas da comunicação (GPESC).

Downloads

Publicado

2014-06-11

Como Citar

FLORES DA CUNHA, J. F.; DA SILVA, A. R. Entre o maior e o menor: sentidos políticos dos valores da Revolução Francesa na Trilogia das Cores, de Krzysztof Kieślowski. Em Questão, Porto Alegre, v. 20, n. 1, p. 247–268, 2014. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/44339. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos