Michel Maffesoli: a pós-modernidade se orienta para “algo de anarquista”

Autores

  • Eduardo Portanova Barros Pós-doutor pela Sorbonne, Doutor pela PUCRS

Palavras-chave:

Maffesoli, Michel, Entrevista, Cultura, Pós-modernidade

Resumo

O sociólogo francês Michel Maffesoli concedeu esta entrevista no dia 10 de dezembro de 2012, em Paris, na sua residência, alguns dias após a morte de seu mestre, o antropólogo Gilbert Durand, autor de, entre outros, As Estruturas antropológicas do imaginário. Na obra de Maffesoli, é clara a influência de seu amigo e mestre Gilbert Durand. Em uma das passagens de Homo eroticus – Des communions émotionnelles (CNRS Editions, 2012), Maffesoli relaciona C.G. Jung a Durand, lembrando que as histerias coletivas se encontram nas raízes daquilo que ambos chamavam “psique objetiva”, ou seja, um conjunto estrutural psíquico de longa tradição, o “inconsciente coletivo” junguiano. O próprio Maffesoli reconhece dever a Durand a ideia de que a essência do gênero humano residiria no equilíbrio conflitual. Nesta entrevista, ele fala de imaginário, pós-modernidade, cultura e anarquismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-05-08

Como Citar

BARROS, E. P. Michel Maffesoli: a pós-modernidade se orienta para “algo de anarquista”. Em Questão, Porto Alegre, v. 19, n. 2, p. 12–19, 2019. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/41958. Acesso em: 5 jul. 2022.

Edição

Seção

Entrevista