Repercussão da Teoria do Conhecimento Tácito de Michael Polanyi: anais da KM Brasil 2002-2018

Autores

  • Josemar Elias da Silva Junior Universidade Federal da Paraíba
  • Joana Coeli Ribeiro Garcia Universidade Federal da Paraíba http://orcid.org/0000-0001-6423-9422

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245273.328-349

Palavras-chave:

Conhecimento tácito, Michael Polanyi, KM Brasil

Resumo

As discussões acerca da epistemologia do conhecimento são bastante antigas e percorrem áreas das Ciências da Saúde até as Sociais Aplicadas. Nela temos uma figura importante: Michael Polanyi, propondo uma perspectiva harmoniosa para a criação do conhecimento, rompendo o ideal de objetividade absoluto herdado da Revolução Científica do século XVIII. A pesquisa qualiquanti utiliza como coleta de dados os documentos publicados nos anais do Congresso Nacional de Gestão do Conhecimento - KM BRASIL (2002-2018) que citam o conceito de Polanyi sobre conhecimento tácito com o objetivo de identificar como suas ideias estão referidas, os sentidos usados e seu desenvolvimento. Nessa direção, a partir do KM BRASIL evidenciamos autores, filiações, data de publicação, incluindo possibilidades de interpretar as ideias de Polanyi. Constatamos que a teoria é abordada conceitualmente no contexto brasileiro, correspondendo a pouco mais de 5% do total de trabalhos publicados nos 13 anos de evento. Embora a temática da gestão do conhecimento ocupe o centro das discussões do evento, somente tal percentual cita os estudos de Michael Polanyi. Com efeito, os autores selecionados afirmam ancorar-se nos preceitos de Polanyi para explicar a epistemologia do conhecimento e sua categorização. Posteriormente os autores inserem a noção de gestão e a distinção entre o tácito e o explicíto a partir de Nonaka e Takeuchi. Apreendemos que o introito para as discussões sobre gestão, criação, transferência ou armazenamento de conhecimento partiram sempre da epistemologia polanyiana embora nem sempre de forma fidedigna.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Josemar Elias da Silva Junior, Universidade Federal da Paraíba

Doutorando e Mestre em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba (2019). MBA em Gestão Empresarial e Logística pela Estratego - Faculdades. Possui graduação em Arquivologia pela Universidade Federal da Paraíba (2018) e Direito - Faculdades de Ensino Superior da Paraiba (2012).

Joana Coeli Ribeiro Garcia, Universidade Federal da Paraíba

Professora Titular do Departamento de Ciência da Informação com atuação no Programa de Pós Graduação em Ciência da Informação, da Universidade Federal da Paraíba. Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro / Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, com tese orientada pelo Prof. Dr. Aldo Barreto. Coordenadora do Grupo de Pesquisa: Da informação e do conhecimento, cadastrado junto ao CNPq. Presidente da ANCIB, período 2009-2010.

Downloads

Publicado

2021-06-30

Como Citar

SILVA JUNIOR, J. E. da; GARCIA, J. C. R. Repercussão da Teoria do Conhecimento Tácito de Michael Polanyi: anais da KM Brasil 2002-2018. Em Questão, Porto Alegre, v. 27, n. 3, p. 328–349, 2021. DOI: 10.19132/1808-5245273.328-349. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/104474. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos