ATIVOS BIOLÓGICOS: UMA ANÁLISE DA ADERÊNCIA AO CPC 29 PELAS COMPANHIAS LISTADAS NA BM&FBOVESPA DE 2007 A 2015

Autores

  • Vanessa Noguez Machado UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
  • Fernanda Gomes Victor UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
  • Júlia Sari Matts UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

Palavras-chave:

Ativos biológicos, IFRS, Evidenciação, Contabilidade internacional

Resumo

O processo de convergência das Normas Brasileiras de Contabilidade com as Normas Internacionais de Contabilidade afetou os critérios de reconhecimento, mensuração e evidenciação de diversos itens, dentre eles os ativos biológicos, de acordo com o CPC 29 a partir de 2010. Considerando que a aderência pode variar entre companhias e no período de disclosure, este estudo tem como objetivo verificar a aderência à norma vigente pelas companhias brasileiras que possuem ativos biológicos de modo a identificar sua adoção no disclosure voluntário e no disclosure obrigatório. Foi analisado o grau de aderência ao CPC 29 por parte das 23 companhias que possuem ativos biológicos e foram listadas na BM&FBOVESPA em 2015. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, descritiva e documental, baseada nas notas explicativas e demonstrações contábeis da amostra, avaliadas por meio de um protocolo de pesquisa com 14 itens referentes aos critérios de reconhecimento, mensuração e evidenciação no período de 2007 a 2015. Os resultados indicam que nenhuma das companhias da amostra apresenta aderência plena ao CPC 29 em relação ao processo contábil dos ativos biológicos. A partir dos resultados obtidos, pode-se inferir que houve um aumento significativo no disclosure obrigatório das companhias analisadas, evidenciando diferentes níveis de aderência, ainda que a aderência ao CPC 29 na evidenciação ainda seja consideravelmente menor do que no reconhecimento e na mensuração. É possível observar que, em todo o processo de contabilização dos ativos biológicos, as companhias não demonstraram um disclosure voluntário adequado, passando apenas a convergir, parcialmente, às normas internacionais após a obrigatoriedade do pronunciamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Noguez Machado, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

Graduanda do curso de Ciências Contábeis da UFRGS. (vanessa_nm93@hotmail.com).

Fernanda Gomes Victor, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

Doutora em Administração p Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Mestra em Ciências Contábeis pela Universidade do Vale do Sinos (UNISINOS). Professora do PPGCont da UFRGS. (Fernanda.victor@ufrgs.br).

Júlia Sari Matts, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

Graduanda do curso de Ciências Contábeis da UFRGS. (juliasmatts@hotmail.com).

Downloads

Publicado

2017-03-15

Como Citar

MACHADO, V. N.; VICTOR, F. G.; MATTS, J. S. ATIVOS BIOLÓGICOS: UMA ANÁLISE DA ADERÊNCIA AO CPC 29 PELAS COMPANHIAS LISTADAS NA BM&FBOVESPA DE 2007 A 2015. ConTexto - Contabilidade em Texto, Porto Alegre, v. 16, n. 34, 2017. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/ConTexto/article/view/71660. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos