A Formação na Maturidade como Apropriação da Própria História de Vida

Autores

  • Insa Fooken Universität Siegen, Siegen – Alemanha

Palavras-chave:

História de Vida. Formação Intergeracional. Geracionalidade. Geratividade. Crianças de Guerra na Velhice.

Resumo

No presente artigo, a disposição e a competência para a apropriação da própria história de vida são consideradas como modos de formação na maturidade. Estas se relacionam com fatores históricos e sócio-políticos e estão inscritas em contextos multigeracionais de formação e processos de desenvolvimento ao longo da vida. Nesta perspectiva, conceitos como geração, geracionalidade, geratividade e transmissão transgeracional ganham destaque e serão aprofundados no texto. A linha argumentativa que sustenta este ponto de vista baseia-se em estudos de países de língua alemã sobre crianças da Segunda Guerra Mundial que envelheceram. Apesar de se tratar de uma situação específica, nos parece possível a extensão das reflexões também para o contexto brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Insa Fooken, Universität Siegen, Siegen – Alemanha

É formada em psicologia (cursando também sociologia, etologia,
psiquiatria, pedagogia) pela Universidade de Bonn, Alemanha. Formação
em psicoterapia. Atuação profissional em aconselhamento educacional.
Colaboração em um projeto de pesquisa gerontológica longitudinal;
doutorado sobre a temática “Mulheres na velhice”. Desde 1992 é professora
para psicologia de desenvolvimento na Universidade de Siegen, Alemanha.
Desde 2014, é professora sênior na área de estudos interdisciplinares sobre
o envelhecimento na Universidade de Frankfurt

Publicado

2014-12-18

Como Citar

Fooken, I. (2014). A Formação na Maturidade como Apropriação da Própria História de Vida. Educação &Amp; Realidade, 40(1). Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/47790

Edição

Seção

Educação e Envelhecimento