Educação Integral e Escola de Tempo Integral em Goiânia

Autores

  • Helen Betane Ferreira Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia/GO – Brasil
  • Dilys Karen Rees Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia/GO – Brasil

Palavras-chave:

Educação Integral. Tempo Integral. Etnografia.

Resumo

O presente artigo visa analisar as concepções dos integrantes do corpo docente e administrativo de uma escola pública do município de Goiânia a respeito de educação integral e tempo integral. Trata-se de um estudo qualitativo de cunho etnográfico no qual foram utilizados os seguintes instrumentos de geração de dados: observação-participante, entrevistas, anotações de campo e leitura dos documentos oficiais que legislam sobre a educação integral e tempo integral no Brasil e no município de Goiânia. A análise dos domínios culturais, sugerida por Spradley (1980), revelou que o tempo integral não tem chegado às nossas escolas públicas de maneira planejada, prejudicando, assim, a efetivação da educação integral nessas instituições de ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helen Betane Ferreira, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia/GO – Brasil

É professora de Língua Inglesa de uma escola de
tempo integral da Rede Municipal de Ensino (RME) de Goiânia. Doutoranda
em Estudos Linguísticos pelo Programa de Pós-Graduação em Letras e
Linguística da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Goiás.

Dilys Karen Rees, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia/GO – Brasil

É professora adjunta nível 3 da Universidade Federal de
Goiás (UFG). Professora do Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística
da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Goiás e orientadora
da primeira autora.

Publicado

2014-12-16

Como Citar

Ferreira, H. B., & Rees, D. K. (2014). Educação Integral e Escola de Tempo Integral em Goiânia. Educação &Amp; Realidade, 40(1). Recuperado de https://www.seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/40241

Edição

Seção

Artigos