Sobre a Revista

Foco e Escopo

Educação & Realidade tem como missão a divulgação da produção científica na área da educação e o incentivo ao debate acadêmico para a produção de novos conhecimentos. Visa, também, a ampliação das ferramentas analíticas de modo a expandir as fronteiras do pensamento e da prática no campo da educação. Nos seus mais de 40 anos de existência, Educação & Realidade vem realizando essa missão por intermédio de uma política editorial consistente e centrada na qualidade dos textos oferecidos aos seus leitores. Educação & Realidade é uma publicação editada de forma contínua em volume único anual (a partir de 2022) e publica artigos relacionados às várias áreas do campo da educação e suas interfaces com as artes, filosofia, letras, ciências sociais e humanas, resultantes de estudos teóricos, pesquisas, reflexões sobre práticas concretas ou debates polêmicos e atuais. Os textos, em português, espanhol ou inglês, são inéditos, a não ser quando são traduções de textos clássicos não disponíveis aos leitores do Brasil. Para que um artigo seja publicado em Educação & Realidade, ele deverá oferecer uma perspectiva que contribua para a discussão e o avanço dos modos como o assunto até então tem sido tratado no campo da educação. A apresentação de uma pluralidade de perspectivas teóricas é um dos pilares da política editorial de Educação & Realidade, como atesta a sua história de liderança na proposição de questões candentes na área da educação. A revista tem como objetivo servir de veículo não apenas para o conhecimento e as pesquisas já consolidadas, mas também para perspectivas inovadoras, tanto no que se refere à argumentação quanto à metodologia quanto os textos que se apresentam como alternativas aos modelos estabelecidos.

Processo de Avaliação pelos Pares

O processo de avaliação dos artigos enviados à Educação & Realidade obedece ao seguinte fluxo: a) Análise quanto à forma: nessa fase, os artigos são submetidos à leitura de ao menos dois dos editores e são avaliados quanto a sua adequação aos critérios gerais da revista Educação & Realidade e à linha editorial. Assim, são devolvidos aos autores os artigos que: 1) configuram-se como relatos de experiência ou tenham caráter prescritivo; 2) configuram-se unicamente como revisão bibliográfica; 3) configuram-se notadamente como simples recorte de uma dissertação ou tese, sem a devida adaptação; 4) apresentam-se sob a forma de projeto ou relatório de pesquisa; 5) não apresentem consistência teórica ou metodológica na pesquisa descrita; 6) não apresentam uma análise suficientemente aprofundada da temática que se propõe a discutir; 7) não têm a área da educação como eixo central da discussão; 8) possuem erros de redação, bem como de estruturação do texto; 9) são meramente descritivos e não apresentam uma análise da problemática abordada; 10) não possuem a forma de artigo científico usualmente praticada nos periódicos de Educação; 11) não cumprem as normas da revista Educação & Realidade para submissão dos artigos (formatação, citações, referências...); 12) não apresentam resultados, formulações ou  conclusões que apontem avanços para a temática proposta; 13) não apresentam elementos empíricos ou argumentações suficientemente desenvolvidas que fundamentem as conclusões. Tais trabalhos serão devolvidos aos autores com a sugestão de que sejam reformulados, para efeito de nova submissão e avaliação pela revista Educação & Realidade, noutra oportunidade. Os trabalhos que não se enquadram em nenhuma das características acima serão considerados aptos para a fase seguinte. b) Análise por pares quanto ao mérito: nessa segunda fase, a Editoria da revista Educação & Realidade encaminha o artigo sem a identificação do autor a, no mínimo, dois pareceristas da área temática específica do trabalho (membros do Conselho Editorial ou convidados ad hoc), de dois Estados diferentes ou do exterior. Para a seleção dos pareceristas e das áreas temáticas são consideradas as classificações da tabela de áreas do CNPq e o conjunto de informações acessíveis na plataforma LATTES. A avaliação levará em conta os seguintes critérios: contribuição à área da educação; originalidade do tema e/ou do tratamento dado ao tema; consistência argumentativa; rigor da abordagem teórico-metodológica; qualidade geral do texto. Os pareceristas podem aceitar plenamente o artigo, aceitar solicitando reformulações ou recusar o artigo. Qualquer uma das hipóteses é justificada por um parecer descritivo. Quando os dois pareceristas recusam o trabalho, o artigo é devolvido ao autor. Quando os dois pareceristas aceitam o trabalho, ele passa à fase seguinte. Por fim, quando um ou os dois pareceristas solicitam reformulações, o trabalho é devolvido ao autor, solicitando que o mesmo considere os pareceres e reformule o artigo no prazo de trinta dias. Quando o autor reenvia o texto reformulado, segundo as sugestões dos pareceristas, ele é reavaliado e passa à fase final. c) Revisão e adequação do trabalho às normas da revista Educação & Realidade: uma vez aceito para publicação, o trabalho é submetido a uma revisão de linguagem e a uma normalização. O trabalho é encaminhado ao autor com as sugestões de correções e adequações, para que seja finalmente encaminhado pela Editoria para a publicação.

Periodicidade

Educação & Realidade é uma publicação editada de forma contínua em volume único anual (a partir de 2022).

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

Conselho Editorial

Membros Internacionais:

Almerindo Janela Gonçalves Afonso, Universidade do Minho, Distrito de Braga - Portugal;
Ana Amélia Amorim Carvalho, Universidade do Minho, Distrito de Braga - Portugal;
Antônio Nóvoa, Universidade de Lisboa, Lisboa - Portugal;
Boaventura de Sousa Santos, Universidade de Coimbra, Coimbra - Portugal;
Carlos Skliar, Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales, Buenos Aires - Argentina;
Daniel Schugurensky, Arizona State University, Tempe, Arizona - Estados Unidos;
Eugénia Vilela, Universidade do Porto, Porto - Portugal;
Gary Anderson, New York University, Nova York - Estados Unidos;
George Yúdice, New York University, Nova York - Estados Unidos;
Gustavo Fischman, Arizona State University, Tempe, Arizona - Estados Unidos;
Inés Dussel, Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales, Buenos Aires - Argentina;
Jorge Ramos do Ó, Universidade de Lisboa, Lisboa - Portugal;
Jurjo Torres Santomé, Universidade da Coruña, Corunha/Galícia - Espanha;
Manuel Jacinto Sarmento, Universidade do Minho, Distrito de Braga - Portugal;
Rebecca Tarlau, Pennsylvania State University, State College, Pennsylvania - Estados Unidos;
Rolf Straubhaar, Texas State University, San Marcos, Texas - Estados Unidos;
Stéphanie Gasse, Université de Rouen - Normandie, Mont-Saint-Aignan - França;
Stephen J. Ball, University of London, Londres - Reino Unido;


Membros Nacionais:

Alice Ribeiro Casimiro Lopes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro/RJ - Brasil;
Ana Luiza Smolka, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas/SP - Brasil;
Ana Mae Barbosa, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo/SP - Brasil;
Anna Maria Pessoa de Carvalho, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo/SP - Brasil;
Antonio Flávio Moreira, Universidade Católica de Petrópolis (UCP), Petrópolis/RJ - Brasil;
Antonio Joaquim Severino, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo/SP - Brasil;
Cleci Maraschin, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre/RS - Brasil;
Denise Meyrelles de Jesus, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Vitória/ES - Brasil;
Emilia Freitas de Lima, Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), São Carlos/SP - Brasil;
Fernando Becker, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre/RS - Brasil;
Gaudêncio Frigotto, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro/RJ - Brasil;
Gelsa Knijnik, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), São Leopoldo/RS - Brasil;
Gilka Girardello, Universidade de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis/SC - Brasil;
Guacira Louro, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre/RS - Brasil;
Janete Maria Lins de Azevedo, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife/PE - Brasil;
João Wanderley Geraldi, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas/SP - Brasil;
Leandro de Lajonquière, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo/SP - Brasil;
Lino de Macedo, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo/SP - Brasil;
Lucia Rabello de Castro, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro/RJ - Brasil;
Luciano Mendes de Faria Filho, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte/MG - Brasil;
Márcia Strazzacappa, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas/SP - Brasil;
Marcia Tiburi, Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), São Paulo/SP - Brasil;
Maria Alice Nogueira, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte/MG - Brasil;
Maria Aparecida Paiva, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte/MG - Brasil;
Marilia Sposito, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo/SP - Brasil;
Marisa Vorraber Costa, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), Canoas/RS - Brasil;
Nadja Hermann, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Porto Alegre/RS - Brasil;
Rosa Maria Bueno Fischer, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre/RS - Brasil;
Rosalia Duarte, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), Rio de Janeiro/RJ - Brasil;
Sergio Coelho Farias, Universidade Federal da Bahia (UFBA), Salvador/BA - Brasil;
Vitor Paro, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo/SP - Brasil;
Wladimir Antônio Garcia, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis/SC - Brasil.

Voltar à página principal

Pareceristas ad-hoc 2010

Clique aqui para ver o arquivo PDF com os nomes.

Voltar à página principal

Pareceristas ad-hoc 2011

Clique aqui para ver o arquivo PDF com os nomes.

Voltar à página principal

Pareceristas ad-hoc 2012

Clique aqui para ver o arquivo PDF com os nomes.

Voltar à página principal

Pareceristas ad-hoc 2013

Clique aqui para ver o arquivo PDF com os nomes.

Voltar à página principal

Pareceristas ad-hoc 2014

Clique aqui para ver o arquivo PDF com os nomes.

Voltar à página principal

Pareceristas ad-hoc 2015

Clique aqui para ver o arquivo PDF com os nomes.

Voltar à página principal

Pareceristas ad-hoc 2016

Clique aqui para ver o arquivo PDF com os nomes.

Voltar à página principal

Pareceristas ad-hoc 2017

Clique aqui para ver o arquivo PDF com os nomes.

Voltar à página principal

Pareceristas ad-hoc 2018

Clique aqui para ver o arquivo PDF com os nomes.

Voltar à página principal

Pareceristas ad-hoc 2019

Clique aqui para ver o arquivo PDF com os nomes.

Voltar à página principal

Pareceristas ad-hoc 2020

Clique aqui para ver o arquivo PDF com os nomes.

Voltar à página principal

Declaração da Ética da Publicação e de Má Prática (Publication Ethics and Malpractice Statement)

Educação & Realidade prima pelas práticas de respeito à conduta ética, seguindo as recomendações do Comitê de Ética em Publicações (Committee on Publication Ethics - COPE), que podem ser encontradas em http://publicationethics.org/resources/guidelines

Principios Éticos e procedimentos para evitar más práticas na produção científica

1) Da responsabilidade dos autores

- Os autores são responsáveis pelo conteúdo de seus artigos, assim como pelos direitos autorais de imagens, videos e quaisquer elementos textuais ou complementares ao seu artigo.

 - Os autores estão de acordo em trabalhar gratuitamente no processo de revisão por pares para este periódico no futuro.

- Os autores declaram que têm contribuição significativa para a pesquisa divulgada em seu artigo, quando for o caso.

- Os autores obrigam-se a oferecer ao periódico retratações ou correções de eventuais erros.

- Os autores devem assegurar que seu texto é obra original e não devem submeter o mesmo texto para mais de uma revista.

- Caso o artigo tenha sido escrito com base em pesquisa que apresenta reais riscos para os participantes, é obrigatória a apresentação de parecer do Comitê de Ética da instituição do pesquisador.

2)  Do processo de avaliação

- Todos o conteúdos da revista é submetido à revisão por pares pelo método avaliação por pares duplo-cego.

- Avaliação por pares é o processo de obter pareceres sobre manuscritos individuais de avaliadores peritos no campo. Esse processo está claramente descrito no nosso site.

- Os pareceres devem ser o mais objetivos possível e suficientemente embasados para que permitam o aprimoramento da pesquisa e do texto avaliados.

- Os avaliadores não devem ter conflitos de interesse e declaram isso por escrito no sistema da revista, ao realizar uma avaliação.

- Os avaliadores devem sempre chamar a atenção para textos ou trechos já publicados e que não tenham sido propriamente citados.

- Todos os artigos avaliados são tratados de forma confidencial.

- A revista entende que qualquer forma de plágio não é aceitável e usa ferramentas de revisão antiplágio.

- A decisão final sobre a publicação ou não de um texto cabe aos editores. Sempre que um texto tenha qualidade acadêmica e cumpra os critérios estabelecidos pela revista, ele é encaminhado para a avaliação por pares duplo-cega de, no mínimo, dois avaliadores.

- Os únicos critérios de avaliação são o mérito acadêmico do texto e o aprimoramento da qualidade do conhecimento, não havendo discriminação aos autores, por quaisquer razões.

- Não é permitido aos editores usarem informações constantes nos artigos em avaliação sem o consentimento explícito dos autores.

- Os editores estão disponíveis para responder qualquer questão ética ligada a uma submissão.

 

3) Da Ética na Publicação

- Editores fazem esforços consideráveis para evitar e prevenir a publicação de artigos em que tenha ocorrido má conduta na pesquisa.

- Em nenhum caso, incentivamos más condutas ou permitimos que elas aconteçam.

- Qualquer alegação de conduta imprópria de pesquisa são imediatamente averiguadas.

- A revista publica erratas para corrigir artigos quando necessário.

- A revista esté sempre disposta a publicar correções, esclarecimentos, direito de resposta, retrações e desculpas quando necessário.

4) Dos Direitos de Autor e Do Acesso Universal

- As licenças usadas pelo periódico estão descritas neste site.

- Todos os artigos em conteudo completo estão livres de taxas e são disponibilizados em sua totalidade para qualquer leitor sem a necessidade de cadastro ou senha.

 

5) Dos demais princípios

- As informações sobre a propriedade, os direitos autorias e/ou gestão da revista estão claramente indicados no menu “sobre” no site da revista.

- Esta revista publica um número a cada três meses, além de usar a modalidade ahead of print.

- Este periódico não cobra nenhum tipo de taxa de submissão, avaliação ou publicação, mas requer a tradução para o inglês - a ser custeada e enviada pelo próprio autor - dos artigos aprovados para publicação.

Fontes de Indexação

Nacionais:

- SciELO - Scientific Electronic Library Online
- Educ@ - Periódicos online de Educação (Fundação Carlos Chagas - com metodologia SciELO)
- BBE – Bibliografia Brasileira de Educação (Cibec/Inep/MEC)
- Portal de Periódicos da CAPES
- Portal Revistas no SEER - IBICT
- Boletim do Centro de Documentação. IESAE/FGV
- Cadernos de Pesquisa Fundação Carlos Chagas
- Sumários de Educação. Faculdade de Educação/USP
- Sumários de Periódicos em Educação. Faculdade de Educação/USP

Internacionais:

- Scopus
- Redalyc - Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal
- Ulrich's
- Elektronische Zeitschriftenbibliothek
- EBSCO Publishing
- Boletin de Resumenes Analíticos/Bulletin of Analytical Abstracts/ Bulletin de Resumes Analytiques. CRESAL/UNESCO, Caracas
- Clas - Citas Latinoamericanas en Sociologia, Economia Y Humanidades. CICH/UNAM, México
- IRESIE - Índice de Revistas en Educaión Superior y Investigación Educativa. CEUTES/UNAM, México
- LAPTOC (Latin American Periodicals Tables of Contents)
- DOAJ - Directory of Open Access Journals
- Latindex - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
- REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)

Sponsors

- Ministério da Ciência e Tecnologia - CNPq / Ministério da Educação - CAPES

- Programa de Apoio a Edição de Periódicos - UFRGS

paep_96

- Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA)

Histórico do periódico

A apresentação de uma pluralidade de perspectivas teóricas é um dos pilares da política editorial de Educação & Realidade, o que atesta a sua história de liderança na proposição de questões candentes na área da educação. A revista tem como objetivo servir de veículo não apenas para o conhecimento e as pesquisas já consolidadas, mas também para perspectivas inovadoras - tanto no que se refere à argumentação quanto à metodologia - e que se apresentam como alternativas aos modelos estabelecidos.

A revista tem realizado plenamente a sua missão e a sua política editorial, algo que pode ser claramente identificado em sua história, que se diferencia da maioria das outras publicações científicas na área de educação. Educação & Realidade sempre publicou o que de melhor estava disponível tanto no Brasil, quanto no mundo, sendo responsável (como iniciadora ou incentivadora) pela introdução de temas centrais na discussão acadêmica brasileira na área de educação. Um exemplo deste pioneirismo é a apresentação de um número temático sobre o construtivismo e a apresentação de uma perspectiva crítica em relação a essa concepção, já nos anos de 1993/1994. Também é importante citar a publicação do texto, hoje clássico, de Joan Scott – “Gênero: uma categoria útil de análise histórica” – em 1990, que, de alguma maneira, inaugura um novo entendimento sobre a questão do gênero entre os pesquisadores no Brasil. Ao realizar sua missão de tensionar as fronteiras do conhecimento e da pesquisa em educação, Educação & Realidade também foi uma das primeiras publicações a oferecer aos leitores brasileiros artigos e números temáticos tratando das perspectivas dos estudos culturais e das perspectivas pós-estruturalistas, quando essas concepções ainda não tinham o destaque que têm hoje em nosso meio acadêmico. Educação & Realidade tem, ainda, uma vocação interdisciplinar, sempre propondo o debate nas fronteiras do campo da educação com as ciências humanas e sociais. Por último, a própria iniciativa de sempre publicar números com uma identidade temática, é um diferencial de Educação & Realidade, algo que fez escola, vide a propagação dessa forma de apresentação entre as revistas de educação no Brasil.