Lei é lei? Maurice Duverger e as eleições para o Senado no Brasil

José Alexandre Silva Júnior, Willber Silva Nascimento, Albany Lima, Widyane Omena

Resumo


Qual o efeito da magnitude sobre o Número Efetivo de Partidos (NEP) da eleição para o Senado brasileiro? Este artigo analisa a relação entre os sistemas eleitoral e partidário no Brasil. Especificamente, testamos a hipótese de que a magnitude exerce um efeito positivo e significativo sobre o número efetivo de partidos. Acreditamos que as eleições para o Senado são um bom laboratório para testar as proposições de Duverger porque mantêm a fórmula eleitoral, mas permitem uma alternância na magnitude. Metodologicamente, analisamos dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) referentes às seis últimas eleições (1998-2018). Utilizamos técnicas de estatística descritiva e inferencial para estimar o efeito da magnitude controlando por outras variáveis. Os principais resultados apontam que: 1) a magnitude exerce um efeito positivo e significativo no NEP; 2) o equilíbrio duvergeriano é mais frequente em eleições de um terço; 3) eleições simultâneas exercem um efeito significativo no NEP.

Palavras-chave


Lei de Duverger; Número Efetivo de Partidos; Magnitude dos Distritos; Senado Brasileiro; Partidos Políticos

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-5269.99047

ISSN Eletrônico 1982-5269 / ISSN Impresso 2236-479X Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.