Perdendo a cabeça: notas sobre a ira insana e a loucura furiosa no Ocidente medieval (XIII-XV)

Rodrigo Moraes Alberto

Resumo


No período medieval, ira e loucura aparecem, freqüentemente, associadas. Atos descontrolados, onde a cólera toma conta do ser, de bravura furiosa, insanos, podem ser relacionados à loucura por seu caráter de afastamento da razão. Em contraponto, o louco, frenético, possuído, furioso, pelas suas ações, é tomado de acessos de ira. Loucura e ira são, portanto, muito próximas. Pela ambigüidade concernente a ambas e pelas características semelhantes, suas fronteiras nunca estiveram claramente delineadas. Pensamentos e concepções do mundo medieval sobre atos de cólera e distúrbios mentais estão presentes em romances, tratados doutrinários, e outros documentos escritos, assim como na iconografia. Este breve estudo pretende debruçar-se sobre a loucura e a ira, tentando perceber onde os conceitos se aproximavam no universo do homem medieval dos séculos XIII ao XV.


Palavras-chave


Ira; Loucura; Amor Cortesão; Iconografia; Cavalaria

Texto completo:

PDF HTML