Descentralizando a centralização: a política das terras na província sulina de Santa Catarina

Flávia Paula Darossi

Resumo


Entre as décadas de 1840 e 1850, o Estado Imperial brasileiro adequou o projeto centralizador em correspondência com as elites regionais e locais, e tornou a Lei de Terras e seu Decreto de execução instrumentos funcionais de agregação e consolidação política no Segundo Reinado, contribuindo para catalisar os processos de apropriação e privatização de terras devolutas e de uso comum no país. Para aprofundar meu estudo, tomo por objeto análise Santa Catarina, uma província pobre e “periférica” no que se refere ao eixo mercantil agroexportador no século XIX.

Palavras-chave


Lei de Terras; Segundo Reinado; Santa Catarina.

Texto completo:

PDF