Operação Condor: Terrorismo de Estado no Cone Sul das Américas

Autores

  • Fabiano Farias de Souza UERJ

Palavras-chave:

Relações de Poder Político-Institucionais

Resumo

Descoberto em 1992, no Paraguai, o Archivo del Horror confirmou a existência da Operação Condor. Constituída na década de 1970, esta associação permitiu a repressão aos opositores políticos hostis aos governos militares em vigor, além das fronteiras nacionais, realizada sob completo desprezo pelas normas de regulamentos internacionais que garantiam proteção a refugiados políticos asilados em países estrangeiros. O presente trabalho estabelece estudos direcionados à compreensão das ações promovidas pelos governos militares de Chile, Argentina, Paraguai, Uruguai, Bolívia e Brasil que, através de constantes violações de Direitos Humanos, no que tange ao tratamento de perseguidos políticos, e através da institucionalização do terror de forma sistemática, obtiveram grande êxito na consecução do objetivo proposto, ou seja, desarticulação dos movimentos de esquerda da região através do extermínio de subversivos latino-americanos em qualquer ponto do continente. Por fim, faz-se algumas considerações sobre a real participação brasileira na Operação Condor que, jamais foi admitida oficialmente, porém, utilizando a bibliografia disponível como meios apuratórios, revela-se verdadeira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiano Farias de Souza, UERJ

Sou professor de História da rede pública com Especialização e Mestrado em História das Relações Internacionais (UERJ).

Downloads

Publicado

2011-05-12

Como Citar

DE SOUZA, F. F. Operação Condor: Terrorismo de Estado no Cone Sul das Américas. Revista Aedos, [S. l.], v. 3, n. 8, 2011. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/aedos/article/view/12769. Acesso em: 2 out. 2022.