Oscillations between micro and macrohistory in the photography of André Penteado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/2179-8001.98254

Palavras-chave:

André Penteado, Photography, Photographic book, Memoir, Contemporary art.

Resumo

Abstract
This article discusses the reconstruction of memory through two photographic books by São Paulo artist André Penteado, respectively O Suicídio de meu pai (2007-2014) and Cabanagem (2015). If in the first work the artist proposes relations focused more on the autobiographical and  on the micronarrative regarding the taboos about suicide and individual suffering, in the second, he offers us a broader discussion of the elements that anchor the historical erasures related to violence and collective suffering.

Resumo
Este artigo aborda a reconstrução da memória através de dois livros fotográficos do artista paulistano André Penteado, respectivamente O Suicídio de meu pai (2007-2014) e Cabanagem (2015). Se no primeiro trabalho o artista propõe relações mais voltadas para o autobiográfico e o micronarrativo, no que concerne aos tabus sobre o suicídio e o sofrimento individual, no segundo, ele nos oferece uma discussão mais ampla sobre os elementos que ancoram os apagamentos históricos relacionados à violência e ao sofrimento coletivo.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Santos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Porto Alegre, Brasil

Professor Permanente do Programa Pós-Graduação em Artes Visuais do Instituto de Artes da UFRGS. Coordena o Grupo de Pesquisa do CNPq “Deslocamentos da fotografia na arte”. Entre 2017 e 2018, realizou pesquisa de Pós-Doutorado na Università di Bologna, como bolsista da CAPES. Entre outras publicações, é autor do livro A fotografia como escrita pessoal: Alair Gomes e a melancolia do corpo outro. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2018.

Referências

BRASSAÏ. Paris la nuit. Paris: Flammarion, 2011.

COLEMAN, A.D., “El método dirigido”, in: RIBALTA, Jorge (ed.). Efecto real: debates pós-modernos sobre fotografia. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, 2004.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Sobrevivência dos vaga-lumes. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade: o cuidado de si. Rio de Janeiro: Graal, 1985.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. 20ª ed. São Paulo: Edições Loyola, 2010.

FRIZOT, Michel.” “Fotografia”, um destino cultural”, in: SANTOS, Alexandre & CARVALHO, Ana Maria Albani de. (orgs.). Imagens: arte e cultura. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2012.

LEMAGNY, Jean-Claude. L´ombre et le temps: essais sur la photographie comme art. Paris: Nathan, 1992.

PENTEADO, André. O suicídio de meu pai. São Paulo: Ed. do Autor, 2014.

PENTEADO, André. Cabanagem. São Paulo: Editora Madalena/Editora Terceiro Nome, 2015.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. São Paulo: EXO experimental org/Editora 34, 2009.

SELIGMAN-SILVA. “Ficção e imagem, verdade e história: sobre a poética dos rastros”, in: GERALDO, Sheila Cabo (org.) Fronteiras: arte, imagem e história. Rio de Janeiro: Banco do Azougue, 2014.

SIGNORINI, Roberto. A arte do fotográfico: os limites da fotografia e a reflexão teórica nas décadas de 1980 e 1990. São Paulo: Ed. WMF Martins Fontes, 2014.

SONTAG, Susan. Sobre fotografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

TAGG, John. El peso de la representación. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, 2005.

Arquivos adicionais

Publicado

2019-11-30

Como Citar

Santos, A. (2019). Oscillations between micro and macrohistory in the photography of André Penteado. PORTO ARTE: Revista De Artes Visuais, 24(42). https://doi.org/10.22456/2179-8001.98254