Campo Minado, uma coletiva em A Sala

Alice Porto dos Santos, Kelly Wendt, Martha Gomes de Freitas

Resumo


A resenha apresenta a exposição Campo Minado, realizada em Pelotas no ano de 2019, a partir de aproximações entre a ideia de trauma e a arte feminista. Nesse sentido formulam-se compreensões que perpassam o título da mostra como um dispositivo poético para articular um posicionamento ativo diante do contexto que se propõe desde esse encontro.

 

Abstract

This review presents the exhibition Minefield, held in Pelotas in the year 2019, stemming from approximations between the idea of trauma and feminist art. In this sense, some understandings that permeate the title of the exhibition are formulated as a poetic device in order to articulate an active positioning towards the context that has been brought up from that confluence.

 


 


Palavras-chave


Campo Minado. Arte feminista. Arte contemporânea. Trauma. Pelotas.

Texto completo:

PDF

Referências


ACCARDI, Carla; LONZI, Carla BANOTTI, Elvira. Manifesto de revolta feminina. In: PEDROSA, Adriano; CARNEIRO, Amanda; MESQUITA, André (org.) História das mulheres, histórias feministas: antologia, vol.2. São Paulo: MASP, 2019.

BUTLER, Judith. In: DIDI-HUBERMANN, Georges (org). Levantes. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2017.

DIDI-HUBERMANN, Georges (org). Levantes. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2017.

PEÑA, Julia Antivilo; MAYER, Mónica; ROSA, María Laura. Arte ativista e “artivismo” na América Latina: um diálogo entre três vozes. In FAJARDO-HILL, Cecilia; GIUNTA, Andrea (org). Mulheres radicais: arte latino-americana, 1965-1980. São Paulo: Pinacoteca de São Paulo, 2018.




DOI: https://doi.org/10.22456/2179-8001.109522

Direitos autorais 2021 Alice Porto dos Santos, Kelly Wendt, Martha Gomes de Freitas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

PORTO ARTE: e-ISSN 2179-8001


INDEXADORES

PROPESQ

"

LATINDEX

Resultado de imagem para redib logo