A Ruína em <i>Fim de partida</i>: Samuel Beckett e Tatiana Blass

Autores

  • Viviane Baschirotto UDESC - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CATARINA

DOI:

https://doi.org/10.22456/1981-4526.46904

Palavras-chave:

Fim de Partida, Tatiana Blass, Samuel Beckett, Ruína

Resumo

Este artigo propõe-se a pensar as relações que permeiam a peça de Samuel Beckett, escrita em 1957 e a encenação da peça nas artes visuais pela artista Tatiana Blass em 2011 no Centro Cultural Banco do Brasil no Rio de Janeiro. O universo que permeia a peça de Beckett e que Tatiana Blass representa é o fim da vida de seus personagens. O fim da vida pode ser traduzido também como a morte, aquilo que é inelutável ao homem, sua ruína.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Viviane Baschirotto, UDESC - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CATARINA

Mestranda na área de Teoria e História das Artes Visuais no PPGAV - UDESC - Universidade Estadual de Santa Catarina, 2013. Bolsista FAPESC desde o ingresso no mestrado. Pós-Graduada em História da Arte pela Universidade da Região de Joinville 2013. Possui graduação em Artes Visuais pela Universidade da Região de Joinville (2011). Tem experiência na área de Artes, com ênfase em História da Arte, Arte Contemporânea e Arte Educação atuando principalmente no seguinte tema: História da Arte. Email: vivibaski@gmail.com

Downloads

Publicado

2014-05-26

Como Citar

Baschirotto, V. (2014). A Ruína em &lt;i&gt;Fim de partida&lt;/i&gt;: Samuel Beckett e Tatiana Blass. Nau Literária, 10(1). https://doi.org/10.22456/1981-4526.46904