A possessão como ambivalência colonial. Identidade e resistência na religiosidade africana em <i>O outro pé da sereia</i>

Autores

  • Silvio Ruiz Paradiso UEL (Universidade Estadual de Londrina); CESUMAR (Centro Universitário de Maringá);

DOI:

https://doi.org/10.22456/1981-4526.20438

Palavras-chave:

pós-colonialismo, Literatura africana, Religiosidade, Possessão

Resumo

A religião, os processo místicos e a religiosidade no contexto pós-colonial colaboram para sustentar a ambivalência da colonização entre o grupo dos colonizadores e dos colonizados e, respectivamente suas divindades (brancas e negras). É nessa ambivalência que o romance O outro pé da Sereia (2006), do moçambicano Mia Couto, descortina-se como um reflexo da multicultura e das manifestações sincréticas. Neste processo observamos, a partir de Fanon (1961), que a possessão enquanto fenômeno do colonizado, revela não apenas a perda transitória da consciência de sua própria identidade, mas o ganho de outra consciência e de nova identidade, superando o processo de violência descolonizadora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvio Ruiz Paradiso, UEL (Universidade Estadual de Londrina); CESUMAR (Centro Universitário de Maringá);

Doutorando de Estudos Literários da UEL (Universidade Estadual de Londrina); Prof. de Língua e Literatura Inglesa do Centro Universitário de Maringá; Líder do grupo de pesquisa sobre Literatura, Pós-colonialismo e Estudos Culturais ; Consultor ad-hoc da International Journal of English and Literature (IJEL)

Downloads

Publicado

2011-09-13

Como Citar

Paradiso, S. R. (2011). A possessão como ambivalência colonial. Identidade e resistência na religiosidade africana em &lt;i&gt;O outro pé da sereia&lt;/i&gt;. Nau Literária, 7(2). https://doi.org/10.22456/1981-4526.20438

Edição

Seção

Dossiê