Notícias

DOSSIÊ: LITERATURA: RAÇAS, ETNIAS, GÊNEROS
Organização: Regina Zilberman

Compete à história de uma literatura nacional o registro das obras transmitidas pela escrita em que se se reconhece qualidade artística; a essas obras associam-se as pessoas responsáveis por sua criação, independentemente de sua etnia, sexo ou idade. Sob esse aspecto, a história da literatura funda-se sobre uma noção de valor estético, constituído a partir das poéticas dominantes em dado tempo ou espaço. No caso do Brasil, a história da literatura recebeu uma tarefa adicional: responder pela identidade nacional. Formulada após a consolidação da separação política de Portugal, e à época da formação do Estado-nação, a história da literatura tornou-se fiadora da autonomia do país, privilegiando obras que o representavam em termos de território e sociedade. Se a literatura, em princípio, coincidia com a pátria brasileira, a história da literatura, ao inventariá-la, dava conta do todo da nação. Examinada retrospectivamente, porém, a história da literatura mostrou-se exclusiva e discriminatória, deixando de fora a produção das afrobrasileiros e de mulheres. Quando incluiu aqueles, ignorou sua pertença racial; quando deu conta daquelas, evitou abordá-las desde sua posição de gênero. Dessas circunstâncias adveio o que se poderia chamar um apartheid histórico-literário.

Prazo de submissão: 30 de maio de 2020
Nenhuma notícia publicada.