PRÁTICAS CORPORAIS MEDICALIZANTES: DIAGNOSTICANDO A REVISTA VIDA SIMPLES

Autores

  • George Saliba Manske Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI
  • Thaís Silveira Barcelos Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI

DOI:

https://doi.org/10.22456/1982-8918.54900

Palavras-chave:

Estilo de vida. Comportamento saudável. Artigo de revista.

Resumo

Esta pesquisa teve como objetivo analisar as práticas corporais descritas nas edições impressas da revista Vida Simples ao longo de 2014. Foram analisadas quatorze edições desta revista a partir dos conceitos de medicalização e de políticas da própria vida, desde suas inserções no campo dos Estudos Culturais. Constatou-se que as revistas analisadas apresentam as práticas corporais com significados vinculados a uma vida simples saudável, permeadas por discursos de ordem biomédica. Discutiramse, também, essas práticas a partir da noção de políticas da vitalidade e percebeu-se, no entanto, que tal noção não pôde ser diretamente vinculada às práticas descritas na revista.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

George Saliba Manske, Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI

Doutor em Educação (UFRGS).

Professor colaborador do Mestrado em Saúde e Gestão do Trabalho (UNIVALI).

Professor e Coordenador de Estágios do curso de Educação Física (UNIVALI).

Thaís Silveira Barcelos, Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI

Licenciada em Educação Física - UNIVALI.

Residente de Educação Física na Residencia Multiprofissional em Saúde (UNIVALI).

Publicado

2015-12-11

Como Citar

MANSKE, G. S.; BARCELOS, T. S. PRÁTICAS CORPORAIS MEDICALIZANTES: DIAGNOSTICANDO A REVISTA VIDA SIMPLES. Movimento, [S. l.], v. 22, n. 1, p. 223–236, 2015. DOI: 10.22456/1982-8918.54900. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/54900. Acesso em: 27 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais