“O QUE O BRASILEIRO NÃO ESQUECE NEM A TIRO É O CHAMADO FRANGO DE BARBOSA” – QUESTÕES SOBRE O RACISMO NO FUTEBOL BRASILEIRO.

Bruno Otávio de Lacerda Abrahão, Antonio Jorge Soares

Resumo


analisa a culpa atribuída ao ex-goleiro Barbosa pela derrota brasileira na Copa de 1950 à luz do debate sobre raça e racismo no Brasil. Do ponto de vista da História Cultural, a presença do debate racial em textos acadêmicos (DaMatta, 1982; Vogel, 1982; Gordon Jr., 1996) que apontam o ex-goleiro como o algoz desta derrota expressam os significados sobre as relações raciais na cultura brasileira. No plano simbólico, o negro Barbosa se tornou um dos emblemas necessários para denunciar as representações sobre “raça” e a sobreposição de narrativas sobre a especificidade do racismo na sociedade brasileira.

Palavras-chave


Futebol: História. Brasil: Preconceito. Copa de 1950. Barbosa.

Texto completo:

PDF-BR PDF-EN


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.3033

Direitos autorais



 

Movimento
Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment