A FORMAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA NOS CURRÍCULOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: UM RETRATO ATUAL

Viviana Graziela de Almeida Vasconcelos Barboni, Yara Maria de Carvalho, Vagner Herculano de Souza

Resumo


Este estudo apresenta uma análise nacional da formação superior em Saúde Coletiva nos cursos de graduação em Educação Física de instituições de ensino superior públicas. Foi realizada uma análise documental das estruturas curriculares, ementas e programas de disciplinas ofertadas por essas universidades, avaliando os conteúdos, a inserção prática no Sistema Único de Saúde (SUS) e a carga horária em Saúde Coletiva. Ao todo, 173 currículos ativos e regulares de graduação de 87 instituições públicas foram analisados, e observaram-se defasagens na formação em saúde: quando obrigatórias, as disciplinas de Saúde Coletiva se apresentam como componentes isolados; predominam conteúdos ligados às ciências biológicas; apresentam limitada carga horária e falta inserção e diálogo com os serviços de saúde do SUS. Identificaram-se algumas propostas curriculares que avançam na formação em saúde, mas ainda de maneira muito tímida, especialmente frente à urgência que a nova realidade decorrente da pandemia de covid-19 exige dos cursos de saúde.

 


Palavras-chave


Educação Física. Educação Superior. Saúde Pública. Sistema Único de Saúde.

Texto completo:

PDF-POR PDF-ENG


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.113041

Direitos autorais 2021 Movimento (ESEFID/UFRGS)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Movimento

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment