APRENDENDO O VALOR DO TEMPO NA EDUCAÇÃO FÍSICA

Javier Gil Quintana, Joseba Etxebeste Otegi

Resumo


O presente artigo analisa as práticas pedagógicas da Educação Física de um contexto específico para descrever como promovem a aprendizagem do tempo. A partir de uma etnografia, obtém-se as atividades propostas pelos professores de Educação Física de uma escola de Meliana, na província de Valência (Espanha). Reúnem-se 82 tarefas motrizes, que são analisadas e contextualizadas no marco educativo. Aos olhos das Ciências da Educação, os resultados mostram uma tendência em realizar atividades sem resultado, nas quais não existe um final delimitado pelas regras. Em um tempo inferior, realizam-se atividades com resultado, nas quais os participantes classificam-se em função do desenlace. A escola orienta os discentes a aprenderem a organizar o tempo livremente e a relacionar-se socioafetivamente, e a adaptar-se aos ritmos sociais impostos e às emoções derivadas destes.

Palavras-chave:  


Palavras-chave


Educação Física. Tempo. Exercício físico. Emoções manifestas



DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.112146

Direitos autorais 2021 Movimento (ESEFID/UFRGS)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Movimento

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment