PRÁTICAS CORPORAIS QUILOMBOLAS: UM ESTUDO DA PRODUÇÃO ACADÊMICA NA EDUCAÇÃO FÍSICA

Paulino Pinheiro Gaia, Ingrid Dittrich Wiggers, Layana Costa Ribeiro Cardoso, Maria Denise Dourado da Silva, Dulce Maria Filgueira de Almeida

Resumo


O artigo analisa o sentido/significado das práticas corporais quilombolas na produção acadêmica, identificando sua distribuição por áreas de conhecimento e seu mapeamento geoespacial no Brasil. Uma pesquisa de natureza teórica e bibliográfica foi realizada em bases de dados, no período compreendido entre 1999 e 2019. Os resultados apontam que o sentido/significado das práticas corporais está associado às representações sociais sobre a cultura corporal de movimento, evidenciando que a Educação Física e a Educação se destacam entre as áreas de conhecimento e os estudos se distribuem geoespacialmente no Brasil. Os loci das pesquisas estão, predominantemente, na Região Nordeste; a Universidade de Brasília e a Universidade Federal do Ceará despontam em números de trabalhos. Conclui-se que, apesar de recente e pouco estudada, a relevância da temática estimula uma agenda de pesquisa.

 


Palavras-chave


Exercício físico. Grupo com ancestrais do continente africano. Indicadores de produção científica. Educação Física.

Texto completo:

PDF-POR


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.111523

Direitos autorais 2021 Movimento (ESEFID/UFRGS)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Movimento

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment