AUTOAPRESENTAÇÃO CORPORAL DE LUTADORAS DE ARTES MARCIAIS MISTAS (MMA) NO INSTAGRAM

João Paulo Silva de Oliveira, Christiane Garcia Macedo, Alvaro Rego Millen Neto

Resumo


Objetivamos analisar a autoapresentação corporal de lutadoras de MMA no Instagram. Foram analisadas imagens postadas por lutadoras campeãs do Ultimate Fighting Championship (UFC), considerando a representação midiática da imagem da mulher atleta, a objetificação e a hipersexualização de seus corpos. Para tal, utilizamos um esquema de codificação com categorias para análise de imagens baseado nos estudos de Goffman. Evidenciamos que, em geral, as imagens analisadas não apresentam a tendência, persistente na cobertura da mídia esportiva, de sexualização do corpo das mulheres atletas. As imagens que remetem a essa representação foram observadas nos contextos específicos que envolvem a organização UFC – a marca do UFC aparece com frequência nas imagens postadas por todas as lutadoras. Não evidenciamos representação baseada em normas e expectativas convencionais de comportamento de gênero; as imagens analisadas mostram uma feminilidade plural.

Palavras-chave


Esportes de Combate. Estudos de Gênero. Rede social.

Texto completo:

PDF-POR


DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.105338

Direitos autorais 2021 Movimento (ESEFID/UFRGS)

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.


Movimento

Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança | Universidade Federal do Rio Grande do Sul | UFRGS
Endereço: Rua Felizardo, 750, Jardim Botânico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, CEP 90690-200
E-mail: movimento@ufrgs.br
 

Bases de Dados Indexadoras

 

                            

 

Apoio

 

        

 

Licença de cópias e declaração de boas práticas de avaliação

 

 Licença Creative CommonsSan Francisco Declaration on Research Assessment