Em Questão https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao <p><em>Em Questão</em> é um periódico científico da área de <strong>Ciência da Informação</strong> publicado pelo Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Publicada desde 2003, em continuidade à Revista de Biblioteconomia e Comunicação, lançada em 1986, Em Questão tem periodicidade trimestral e é veiculada em formato eletrônico na modalidade de acesso aberto. Atualmente recebe contribuições originais de cunho teórico e empírico provenientes de autores brasileiros e estrangeiros em fluxo contínuo.</p> <p> </p> <p>Confira as páginas da Em Questão no <a href="http://scholar.google.com.br/citations?user=HSSYiO8AAAAJ&amp;hl" target="_blank" rel="noopener"><strong>Google Acadêmico</strong></a>, no <a href="http://www.facebook.com/EmQuestao/" target="_blank" rel="noopener"><strong>Facebook</strong></a>, no <strong><a href="https://www.instagram.com/emquestao.ufrgs/" target="_blank" rel="noopener">Instagram</a></strong> e no <a href="https://twitter.com/emquestao_ufrgs" target="_blank" rel="noopener"><strong>Twitter</strong></a>.</p> Universidade Federal do Rio Grande do Sul pt-BR Em Questão 1807-8893 <p>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p><p>Autores mantêm os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution (<a href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/deed.pt_BR" target="_blank">CC BY-NC 3.0</a>), que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria.</p><p>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista, como publicar em repositório institucional, com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</p><p>Os artigos são de acesso aberto e uso gratuito, com atribuições próprias em atividades educacionais, de pesquisa e não comerciais. </p> Expediente https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/122387 Comissão Editorial Em Questão Comissão Editorial Em Questão Copyright (c) 2022 Comissão Editorial Em Questão 2022-02-23 2022-02-23 122387 122387 Política editorial https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/122411 <span>Comissão Editorial Em Questão</span> Comissão Editorial Em Questão Copyright (c) 2022 Comissão Editorial Em Questão 2022-02-23 2022-02-23 122411 122411 Editorial https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/122379 <span>Comissão Editorial Em Questão</span> Samile Andréa de Souza Vanz Em Questão Copyright (c) 2022 Comissão Editorial Em Questão 2022-02-23 2022-02-23 122379 122379 10.19132/1808-5245282.122379 O TikTok como ferramenta de inovação em serviços de informação em bibliotecas https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/116231 O estudo tem como objetivo analisar o posicionamento digital de algumas bibliotecas na rede social <em>TikTok</em>, observando o uso dessa plataforma como estratégia de inovação em serviços na perspectiva das novas tendências de consumo da informação. Trata-se de uma pesquisa descritiva, de abordagem qualitativa, cujo delineamento do estudo foi dividido em duas fases: pesquisa bibliográfica (levantamento de pesquisas e relatos de experiências sobre o tema) e levantamento dos perfis de bibliotecas na rede social que utilizam a plataforma. Foram analisados cinco perfis: Biblioteca Pública Sierra Madre, Biblioteca Pública de Vancouver, Biblioteca Pública de Iowa, Biblioteca Pública de Dover e a Biblioteca Pública de Calgary. O processo de análise da pesquisa sobre o posicionamento digital desses espaços foi realizado a partir de quatro aspectos: marketing, engajamento, interação com os usuários e produção de conteúdo. Observou-se que essas bibliotecas, aliando seu caráter profissional ao potencial de entretenimento da rede social <em>TikTok</em>, desenvolveram uma relação de interação e de engajamento com os seus usuários, o que gerou maior interesse pelos seus serviços de informação e produtos por meio do marketing digital. Tornaram-se, assim, inovadoras em seu posicionamento digital estratégico, acompanhando as novas tendências de consumo da informação pelos usuários. Diego Leonardo de Souza Fonseca Maria Gabriella Flores Severo Fonseca Copyright (c) 2022 Diego Leonardo de Souza Fonseca, Maria Gabriella Flores Severo Fonseca 2022-02-23 2022-02-23 116231 116231 10.19132/1808-5245282.116231 As quatro funções da biblioteca pública nas mídias sociais https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/114108 A presente pesquisa busca identificar a representação das funções da biblioteca pública a partir do que é divulgado em suas páginas institucionais e nos perfis do Facebook e do Instagram. A pesquisa quali-quantitativa foi realizada em todo o país com uma amostra estatística aleatória simples com erro amostral de 4%. Com o universo de pesquisa contando com 6055 bibliotecas públicas no Brasil, a amostra foi determinada em 547 instituições, de onde chegou-se a 97 páginas e perfis de 63 bibliotecas de todas as regiões do Brasil. A partir da análise das postagens no período de dois anos, entre julho de 2018 a junho de 2020, chegou-se a 1528 tipos de postagens, sendo possível identificar a relação do que é publicado com as quatro funções da biblioteca pública: informativa, educativa, cultural e recreativa. Com publicações diversificadas, as postagens em maior quantidade têm função informativa. Mesmo assim, as outras funções estão bem presentes nos ambientes virtuais das bibliotecas públicas. Conclui-se que um número pequeno de bibliotecas públicas utiliza as mídias sociais. Nesta utilização há criação variada de conteúdo, divulgação de serviços e produtos e uma nova forma de comunicação direta com seus usuários. Mariana Giubertti Guedes Greenhalgh Lillian Maria Araújo de Rezende Alvares Copyright (c) 2022 Mariana Giubertti Guedes Greenhalgh, Lillian Maria Araújo de Rezende Alvares 2022-02-23 2022-02-23 114108 114108 10.19132/1808-5245282.114108 Gestão da informação e mídias sociais para o engajamento dos estudantes nas instituições de ensino superior https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/108569 Os dados e informações presentes nas mídias podem ser processados, interpretados e analisados, identificando métricas que demonstrem o nível de engajamento dos usuários. Podem, ainda, promover o engajamento de atuais e futuros estudantes nas instituições de ensino superior. Assim, o problema de pesquisa é: quais estratégias de conteúdo contribuem para o engajamento nas mídias sociais dos atuais e futuros estudantes? O objetivo geral consistiu em identificar as estratégias de conteúdo mais apropriadas para o uso das mídias sociais no engajamento dos estudantes. Os objetivos específicos são identificar qual tipo de conteúdo existente nas mídias sociais desperta mais atenção do público e investigar as medidas que permitem verificar informações do comportamento dos estudantes. Esta pesquisa se caracteriza como exploratória e de natureza quantitativa-descritiva, sendo utilizado o método Estudo de Caso de Yin (2010) realizado em uma instituição de ensino superior do estado de São Paulo, Brasil. Os sujeitos da pesquisa envolvem 109 estudantes e dois funcionários responsáveis pelas mídias sociais. Foi construído um quadro direcionador a partir da inter-relação dos conceitos de Gestão da Informação e mídias sociais, gerando indicadores para o uso das mídias sociais. O perfil social da instituição no Facebook, possui 4.932 usuários e 246 publicações para um intervalo de um mês. Foram observados os sinais de engajamento dos usuários e constatadas as publicações do tipo foto como as que mais obtiveram envolvimento. O período de vestibular representa maior fluxo de publicações. Além disso, 82,6% dos internautas afirmaram que se sentem mais próximos da instituição.<br /><strong></strong> Everaldo Henrique dos Santos Barbosa Cássia Regina Bassan de Moraes Copyright (c) 2022 Everaldo Henrique dos Santos Barbosa 2022-02-23 2022-02-23 108569 108569 10.19132/1808-5245282.108569 Intencionalidade e mediação da informação no contexto dos ambientes informacionais digitais https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/111998 <p>O conceito de Intencionalidade abarca em sua essência a bagagem sociocognitiva dos sujeitos informacionais que sob a influência de diferentes contextos (político, social, econômico, tecnológico) produzem, interpretam medeiam, utilizam e se apropriam de informação a partir de seus comportamentos, competências, habilidades e experiências. Dentro do paradigma pós-custodial o desenvolvimento tecnológico propicia o aumento das informações que são geradas, especialmente, em ambientes informacionais digitais. Assim, estudos que possam potencializar o modo como esses ambientes são projetados se fazem necessários para que propiciem qualidade na encontrabilidade, no acesso, no uso e na apropriação das informações. Esta pesquisa busca apontar as relações entre os conceitos de Intencionalidade e de Mediação da Informação no contexto dos estudos responsáveis pela construção de projetos de ambientes informacionais digitais - a Arquitetura e Encontrabilidade da Informação. Nesse sentido, foi possível desenvolver reflexões teóricas a partir de correlações dos termos e fundamentos dos conceitos de Intencionalidade e da Mediação da Informação. Além de discussões pertinentes à área da Ciência da Informação diante de uma abordagem mais prática no contexto dos ambientes informacionais digitais.</p> Fernanda Alves Sanchez Silvana Aparecida Borsetti Gregório Vidotti Fernando Luiz Vechiato Oswaldo Francisco de Almeida Júnior Copyright (c) 2021 Fernanda Alves Sanchez, Silvana Aparecida Borsetti Gregório Vidotti, Fernando Luiz Vechiato, Oswaldo Francisco de Almeida Júnior 2022-02-23 2022-02-23 111998 111998 10.19132/1808-5245282.111998 As dimensões da mediação da informação como fundamento para a mediação da leitura voltada para o idoso https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/112916 A prática da leitura possibilita o intercâmbio de informações importantes e apoia o desenvolvimento das capacidades intelectuais e o senso crítico dos sujeitos. A mediação da leitura também contribui com o processo de (re)construção do conhecimento e, ao mesmo tempo, visa proporcionar uma autonomia diante da interpretação e das emoções que são geradas no momento da leitura. Nessa perspectiva, este estudo evidencia o alcance das dimensões da mediação da informação propostas por Gomes (2014, 2016, 2017, 2019a, 2019b) nas atividades de mediação da leitura com os idosos. Quanto à metodologia, foi adotada a abordagem qualitativa, com o uso do método documental. Buscou-se a articulação dos aspectos teóricos, conceituais e analíticos que subsidiaram a discussão sobre as atividades de mediação da leitura com os idosos, realizadas e documentadas pelas instituições de longa permanência localizadas em Salvador, Bahia. Por meio do desenvolvimento reflexivo, considera que o mediador, ao buscar uma atuação consciente nas atividades de mediação da leitura, de modo a alcançar as cinco dimensões dialógica, estética, formativa, ética e política, contribui com o processo de ressignificação da vida dos idosos e com a apropriação da informação por parte dos sujeitos envolvidos na ação mediadora, o que favorecerá o fortalecimento do protagonismo social. Fausto José Silva Calheira Raquel do Rosário Santos Copyright (c) 2021 Fausto José Silva Calheira, Raquel do Rosário Santos 2022-02-23 2022-02-23 112916 112916 10.19132/1808-5245282.112916 Publicando durante uma pandemia: comparação do conhecimento científico durante as crises causadas pela COVID-19 e pela Gripe Suína https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/111566 O conhecimento científico tem um ciclo bem estabelecido de criação de hipóteses, testando-as em experimentos e submetendo-as à análise da comunidade científica por meio de publicações. Leva-se tempo para atingir suficiência amostral em estudos biomédicos, especialmente sobre o efeito de medicamentos e vacinas. O protocolo da Organização Mundial da Saúde estima que sejam necessários mais de 19 meses de experimentos para aprovar uma vacina, por exemplo. Uma pandemia com impacto imediato em vidas humanas exige que estudos científicos acelerem a busca de soluções. No presente trabalho, avaliamos a velocidade e o volume de informações geradas pela Academia para enfrentar a COVID-19 em comparação com a Gripe Suína. Foram considerados artigos de periódicos indexados na plataforma PubMed. O número de publicações sobre a COVID-19 foi 11 vezes maior que o número de publicações sobre a Gripe Suína no período de um ano. Embora esperássemos mais colaborações e estudos internacionais com foco em vacinas para a COVID-19, os artigos se concentraram na China e no estudo de sintomas, gerenciamento da pandemia, revisões do conhecimento ou em ensaios clínicos. Com certeza, a Ciência está trabalhando mais rápido para soluções em situações biomédicas críticas. No entanto, o grande volume de informações gerado em pouco tempo pode dificultar a tomada de decisões em diversas áreas, incluindo na gestão da saúde. Os resultados deste artigo mostram que antes de usar artigos para realizar ações, os tomadores de decisão devem filtrar as informações recebidas e aguardar que a comunidade científica amadureça as discussões sobre o conhecimento gerado. Bianca P. Vieira Copyright (c) 2021 Bianca P. Vieira 2022-02-23 2022-02-23 111566 111566 10.19132/1808-5245282.111566 Patentes verdes brasileiras: comportamento das invenções que recebem o maior número de citações https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/116098 O objetivo da pesquisa é verificar quais são as variáveis que influenciam o comportamento das patentes que mais recebem citações. A literatura reconhece o número de citações recebidas como um dos indicadores mais importantes para descobrir o valor de uma invenção. Essa alegação é testada em uma população de pesquisa que consiste no conjunto de patentes verdes brasileiras registradas no banco de dados do Global Patent Index. São utilizadas as seguintes variáveis: tipo de requerente, país do requerente, número de inventores, código de classificação internacional de patentes, tamanho da família, renovações, solicitação do Tratado de Cooperação em Matéria de Patentes, família triádica, concessão e número de citações. Essas variáveis são utilizadas para criar uma árvore de decisão e uma regressão logística com o Statistical Package for the Social Sciences, V.21, e o MS Excel. Os resultados mostram que, no comportamento das patentes verdes brasileiras, o tamanho da família e as renovações estão vinculados às patentes mais citadas. Outra variável significativa, mas cujos números não foram significativos o suficiente para colocá-la na árvore de decisão, foi a adesão ao Tratado de Cooperação em Matéria de Patentes. Adriana Stefani Cativelli Jorge Mañana Rodriguez Maria Luisa Lascurain Sanchez Copyright (c) 2022 Adriana Stefani Cativelli, Jorge Mañana Rodriguez, Maria Luisa Lascurain Sanchez 2022-02-23 2022-02-23 116098 116098 10.19132/1808-5245282.116098 Análise da longevidade e do tamanho das coautorias acadêmicas: os caminhares na ciência brasileira https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/116156 <p>O presente artigo propõe um método de detecção, identificação e visualização da longevidade (tempo) e do tamanho da coautoria (número de pessoas) na ciência brasileira, possibilitando a análise dos caminhares dos pesquisadores de acordo com as áreas do conhecimento. Os dados utilizados referem-se a todos os doutores ativos em 2019 registrados na Plataforma Lattes. O método empregado permite observar todos os possíveis agrupamentos de pesquisadores na colaboração em coautoria ao longo do tempo. Os resultados apresentados evidenciam que grupos menores têm uma longevidade maior em relação aos grupos de tamanhos maiores. Este artigo caracteriza de maneira inédita os caminhares (em função da longevidade e tamanho) dos pesquisadores brasileiros, permitindo observar o atuar de cada pesquisador não de forma isolada/independente mas de forma grupal/dependente da interação colaborativa e social, como a ciência é realizada na atualidade.</p> Andreia Cristina dos Santos Gusmão Solange Maria dos Santos Jesús P. Mena-Chalco Copyright (c) 2022 Andreia Cristina dos Santos Gusmão, Solange Maria dos Santos, Jesús P. Mena-Chalco 2022-02-23 2022-02-23 116156 116156 10.19132/1808-5245282.116156 Avaliação educacional na formação de professores: análise das editoras, periódicos e artigos https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/115453 <p>Objetiva mapear e analisar a produção científica de artigos sobre avaliação educacional na formação de professores, indexados nas bases de dados <em>Web of Science</em>, Scopus e Scielo. O estudo baseou-se em indicadores bibliométricos e estabeleceu três eixos de análise: por editoras, periódicos e artigos. Foram mapeados 177 artigos que foram veiculados por 119 periódicos e 76 editoras. Os resultados destacam que 51% da produção dos artigos concentram-se em seis editoras comerciais. Por outro lado, países como Brasil, Espanha, Canadá e Singapura concentram mais de 50% de sua produção em editoras universitárias. Das 119 revistas, identifica-se pela lei de Bradford um núcleo de sete periódicos mais produtivos que são revistas especializadas no tema. O periódico <em>Assessment and Evaluation in Higher Education</em> ganhou destaque por ser o que mais publicou, com nove artigos, e veicula o estudo mais citado. Dos 177 artigos, 20 receberam ao menos 18 citações e são considerados os de maior impacto. Além disso, acumulam 64% das 1.248 citações recebidas por todos os artigos mapeados. Sinalizamos a importância de uma indústria editorial científica consolidada, que dê visibilidade às diversidades culturais das pesquisas e áreas de conhecimento, assim como à profissionalização dos processos editoriais. Ao mesmo tempo, ainda são necessárias políticas de custeio das publicações e debates sobre a monopolização da produção em poucas editoras. Acenamos, ainda, para necessidade de investigar a produção científica sobre avaliação na formação de professores em bases de dados que reúnem periódicos que são invisibilizados no <em>mainstream</em> da ciência, fortalecendo regiões pouco estudadas.</p> Matheurs Lima Frossard Felipe Ferreira Barros Carneiro Wagner dos Santos Copyright (c) 2021 Matheurs Lima Frossard, Felipe Ferreira Barros Carneiro, Wagner dos Santos 2022-02-23 2022-02-23 115453 115453 10.19132/1808-5245282.115453 Mulheres com deficiência na docência brasileira https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/108417 O objetivo desta investigação é discutir a representatividade das mulheres com deficiência na docência do ensino superior brasileiro. Parte-se do entendimento de que os sujeitos da pesquisa apresentam dois marcadores de silenciamento e de exclusão: ser mulher e com deficiência. Quanto aos aspectos metodológicos, a pesquisa classifica-se como quantitativa. Pautou-se na análise secundária dos dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), de 2010 e 2018, bem como dos dados gerais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com esta investigação, observou-se que os docentes com deficiência representam somente 1% dos que compõem o ensino superior brasileiro, sendo as mulheres a minoria se comparadas à quantidade de homens, embora os gráficos evidenciem um aumento quantitativo na representatividade feminina ao longo dos anos. Daniela Priscila de Oliveira Veronezi Geisa Müller de Campos Ribeiro Suely Henrique de Aquino Gomes Copyright (c) 2022 Daniela Priscila de Oliveira Veronezi, Geisa Müller de Campos Ribeiro, Suely Henrique de Aquino Gomes 2022-02-23 2022-02-23 108417 108417 10.19132/1808-5245282.108417 Tecnologias da Informação e Comunicação no contexto democrático brasileiro: uma revisão sistemática de literatura https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/117173 O objetivo deste artigo foi analisar a produção científica sobre a aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação no Estado brasileiro. Para tanto, realizou-se uma revisão sistemática focada nas publicações que tratavam sobre essas tecnologias na governança, democracia e no governo eletrônico. Foi utilizada estatística textual para análise do material coletado, o que permitiu traçar um panorama dos artigos selecionados. Como resultado, foi evidenciado que a temática vem ganhando atenção da comunidade científica, destacando-se a aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação na administração pública. Inferiu-se que o conteúdo dos artigos se divide em três dimensões: Instrumentos Democráticos; Interseção Estado e Sociedade; e Campo de Políticas Públicas. Enquanto achado de maior importância, evidenciase o fato de a literatura priorizar a análise quanto ao caráter instrumental da tecnologia, capaz de potencializar a ação pública (exibindo um caráter cyberschumpeteriano), desconsiderando, por outro lado, a sua função substantiva: a de fortalecer a democracia a despeito dos possíveis ganhos de eficiência. Luiza Amalia Soares Franklin Fillipe Maciel Euclydes Ana Paula Teixeira Campos Marco Aurelio Marques Ferreira Copyright (c) 2022 Luiza Amalia Soares Franklin, Fillipe Maciel Euclydes, Ana Paula Teixeira Campos, Marco Aurelio Marques Ferreira 2022-02-23 2022-02-23 117173 117173 10.19132/1808-5245282.117173 Repositórios de dados científicos na América do Sul: uma análise da conformidade com os Princípios FAIR https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/113057 <p>A intenção de pesquisa teve como fim estudar o fenômeno dos dados gerados por meio do processo científico e o desenvolvimento de serviços que enfrentam os crescentes desafios de sua gestão e curadoria. O problema de pesquisa se encontra nos ambientes e nas práticas responsáveis pela organização desses ativos digitais resultantes da investigação científica contemporânea. Foram objetos de estudo dessa investigação: os dados; os conjuntos de dados; os Princípios FAIR; e os repositórios digitais institucionais de dados científicos. O objetivo da pesquisa foi investigar a gestão e curadoria dos conjuntos de dados científicos disponibilizados nos repositórios digitais institucionais sulamericanos à luz dos Princípios FAIR. A proposta de investigação consistiu em uma pesquisa aplicada, de método qualitativo, exploratória, analítica, bibliográfica e documental. Fez-se levantamento dos repositórios de dados científicos no Registro de Repositórios de Dados de Pesquisa, o RE3DATA. A coleta dos dados foi feita nos repositórios selecionados. Utilizou-se da análise de conteúdo à concepção dos resultados de pesquisa. Os achados indicam que os programas responsáveis pelos repositórios investigados que servem à gestão e curadoria de dados científicos são o Morpho, o DSpace, e o Dataverse. Os repositórios em maior conformidade com os Princípios FAIR foram aqueles estabelecidos mediante o uso do Dataverse. Concluiu-se que profissionais da informação devem buscar sua capacitação em dados, a começar pelo planejamento de projetos e políticas institucionais dirigidas à implementação de repositórios de dados científicos, passando pelo entendimento das divergentes necessidades entre comunidades, pelo conhecimento técnico computacional exigido a tais práticas, e idealmente, pela busca da padronização e manutenção desses serviços.</p> Marcello Mundim Rodrigues Guilherme Ataíde Dias Cíntia de Azevedo Lourenço Copyright (c) 2022 Marcello Mundim Rodrigues 2022-02-23 2022-02-23 113057 113057 10.19132/1808-5245282.113057 Políticas de preservação de documentos arquivísticos digitais: relatos de experiências de Instituições de Ensino Superior brasileiras na constituição do documento https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/111677 <p>A produção de documentos em formato digital inclui uma série de ações a serem desenvolvidas pelas instituições produtoras com relação à autenticidade, confiabilidade e preservação dos conteúdos. Os documentos arquivísticos, que constituem fonte de prova das atividades organizacionais, precisam ser preservados corretamente, garantindo seu acesso futuro. As ações de preservação exigem planejamento e investimento por parte das organizações, que precisam ser amparadas por um documento bem fundamentado que inclua os objetivos e as diretrizes a serem adotadas: a política de preservação de documentos digitais. Este documento, já conhecido por grande parte dos profissionais, ainda não é adotado em grande parte das Instituições de Ensino Superior (IES) brasileiras. O presente artigo apresenta experiências de quatro IES brasileiras que possuem uma política de preservação de documentos arquivísticos digitais. Apresenta os resultados obtidos a partir de entrevistas semiestruturadas realizadas com os gestores responsáveis pela constituição e submissão do documento para aprovação da alta administração das IES. Buscou-se, com as experiências apresentadas, identificar ações e boas práticas a serem desenvolvidas pelas IES que ainda não iniciaram o processo de constituição deste documento, essencial ao planejamento e implementação das ações de preservação digital na organização.</p> Luciana Gonçalves Silva Souza Elisângela Cristina Aganette Copyright (c) 2021 Luciana Gonçalves Silva Souza, Elisângela Cristina Aganette 2022-02-23 2022-02-23 111677 111677 10.19132/1808-5245282.111677 Conselhos de Fiscalização de Profissões Regulamentadas: pré-diagnóstico dos Arquivos dos Conselhos Federais https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/116211 <p>Neste artigo são apresentados resultados de uma pesquisa que teve como objetivo compreender as práticas arquivísticas em Conselhos de Fiscalização de Profissões Regulamentadas. Para levantamento de dados, foi utilizado o método Survey, estruturado através de um formulário de pré-diagnóstico de arquivo, aplicado nos 29 Conselhos Federais de Profissões Regulamentadas existentes no Brasil, que compõem um conjunto de, aproximadamente, 580 órgãos, incluindo-se os conselhos regionais. Tais órgãos situam-se na administração pública federal indireta. Foram recebidas 14 respostas dos pré-diagnósticos. Conforme Parecer do Ministério da Justiça/AGU, de 2013, compete ao Arquivo Nacional orientar esses conselhos sobre a gestão de documentos. Ficou demonstrado, entretanto, que a maioria dos Conselhos: não aplica os instrumentos de gestão do Arquivo Nacional; não foi convidada para reuniões do Sistema de Gestão de Documentos de Arquivo (SIGA); não orienta seus respectivos conselhos regionais no trato com a documentação; não possui Arquivo com status de unidade ou setor nos respectivos organogramas; não possui repositórios arquivísticos; não possui sistemas informatizados que cumpram os requisitos para Sistemas Informatizados de Gestão Arquivística de Documentos (SIGAD), possuindo apenas sistemas eletrônicos de gestão de documentos (GEDs); não possui plano de salvaguarda, dentre outros apontamentos.</p> Meissane Andressa da Costa Leão Cintia Aparecida Chagas Copyright (c) 2022 Meissane ANDRESSA DA COSTA LEÃO, Cintia Aparecida Chagas 2022-02-23 2022-02-23 116211 116211 10.19132/1808-5245282.116211 Apropriação da memória pela Ciência da Informação e o papel legitimador das Instituições de Memória https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/109562 Objetiva refletir acerca da aproximação/interdisciplinaridade/contribuições que o campo da memória coletiva possui para a Ciência da Informação. Para isso, buscamos compreender como se deu o processo de apropriação do conceito de memória na área da Ciência da Informação e como as Instituições de Memória colaboram no processo de legitimação da memória coletiva. Realiza uma pesquisa exploratória por meio de uma revisão bibliográfica, como procedimento metodológico para a construção deste estudo. Contextualiza o surgimento da memória no campo da Filosofia e demais áreas das Ciências Humanas. Considera que a memória surge a partir de um entendimento restrito e que, posteriormente, é apropriada pelas Ciências Sociais, que entendem a memória a partir de uma perspectiva ampla e coletiva. Apresenta indícios do processo de apropriação do conceito de memória pela Ciência da Informação e ressalta que, diante das múltiplas possibilidades de realizar trabalhos no campo da memória, está a de compreender a função social desempenhada pelas Instituições de Memória, consideradas espaços que exercem um papel relevante na manutenção das identidades sociais e na legitimação de suas memórias. Conclui que a memória, enquanto mecanismo de representação social, é indispensável para a formação social das identidades e que seu processo de consolidação na Ciência da Informação ainda se encontra em desenvolvimento. Igor Oliveira Silva Gracy Kelli Martins Copyright (c) 2022 Igor Oliveira Silva, Gracy Kelli Martins 2022-02-23 2022-02-23 109562 109562 10.19132/1808-5245282.109562 Linguística documental e semiótica documental: percurso espanhol https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/114032 <p><strong></strong>A proposta desta pesquisa é analisar o processo epistemológico da Linguística Documental, bem como a Semiótica Documental na Espanha. Somado a isso, também deseja analisar a relação dessas disciplinas com a Documentação desenvolvida na Espanha. Outrossim, estabelecer breves relações com as teorias que atuam como base da Linguística Documental, no caso a Linguística Estrutural e da Semiótica Documental, por sua vez, a Semiótica. Para tanto, aplicou-se uma metodologia de natureza qualitativa, tipo descritiva, de caráter exploratória. Trata-se de abordagem teórico-bibliográfica, com o propósito crítico e reflexivo acerca das disciplinas Linguística Documental e Semiótica Documental, bem como acerca da Linguística Estrutural e Semiótica. Desse modo, há um processo metalinguístico nos procedimentos que envolvem a interpretação da informação e sua organização em conceitos e na representação do documento, por via de uma tradução de conceitos responsáveis por representar a informação documental, já que essa informação é produzida em linguagem natural, por conseguinte traduzida, em procedimentos metalinguísticos, para a linguagem documental especializada. Portanto, os estudos que exploram a Organização do Conhecimento e a Ciência da Documentação estão alinhados à importância da linguagem no processo de tratamento documental. Sendo assim, a Linguística possibilita extrair do documento informações que estão subentendidas e inscritas em seus aspectos dialógicos, em uma perspectiva intertextual, o chamado signo documental, a mesma medida, a Semiótica peirceana possibilita tratar a semiose documental.</p> Alexandre Robson Martines Carlos Cândido Almeida Copyright (c) 2022 Alexandre Robson Martines, Carlos Cândido Almeida 2022-02-23 2022-02-23 114032 114032 10.19132/1808-5245282.114032 Normas https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/122414 <span>Comissão Editorial Em Questão</span> Comissão Editorial Em Questão Copyright (c) 2022 Comissão Editorial Em Questão 2022-02-23 2022-02-23 122414 122414