Museus e justiça de transição no contexto brasileiro: memória e informação na construção de espaços de representação do trauma

Autores

  • Felipe Eleutério Hoffman Escola de Ciência da Informação - ECI Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
  • Maria Guiomar da Cunha Frota Escola de Ciência da Informação - ECI Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245252.278-299

Palavras-chave:

Memória, Informação, Museu, Justiça de Transição, Brasil.

Resumo

Por todo o globo, acontecimentos como o Holocausto, o Apartheid, o Onze de Setembro, e os períodos ditatoriais na América Latina, têm gerado uma obrigação de se prestar contas ao passado, principalmente através de uma necessidade de marcar a época com a criação de lugares de memória. O surgimento de museus e memoriais que lidam com as memórias da repressão e resistência nos contextos ditatoriais dos países latino americanos do Cone Sul acompanha este contexto global em que se observa a criação de um número crescente de instituições de informação e memória que adotam as causas locais com relação aos direitos humanos como questão principal de sua missão institucional. O presente ensaio objetiva analisar o surgimento de instituições museais em contextos de justiça transicional com foco por sobre a realidade brasileira. São delineados alguns dos aspectos centrais que envolvem o estabelecimento destas instituições, bem como algumas das problemáticas implicadas. Nesta direção, traz um panorama e apresenta algumas destas iniciativas em âmbito nacional. É observado que no que tange o contexto brasileiro, as medidas que caracterizam o campo da justiça transicional possuem estágios diferenciados de implementação em cada uma de suas dimensões e, de maneira geral, diferentes autores reconhecem que muitas medidas são consideradas tardias em relação a outros países da América Latina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Eleutério Hoffman, Escola de Ciência da Informação - ECI Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Museólogo, Msc Arquitetura e Urbanismo - UFMG, Doutorando em Ciência da Informação - ECI - UFMG

Maria Guiomar da Cunha Frota, Escola de Ciência da Informação - ECI Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Professora Associada na Escola de Ciência da Informação da UFMG, Departamento de Teoria e Gestão da Informação, Doutora em Sociologia pelo IUPERJ.

Downloads

Publicado

2019-04-26

Como Citar

HOFFMAN, F. E.; FROTA, M. G. da C. Museus e justiça de transição no contexto brasileiro: memória e informação na construção de espaços de representação do trauma. Em Questão, Porto Alegre, v. 25, n. 2, p. 278–299, 2019. DOI: 10.19132/1808-5245252.278-299. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/81870. Acesso em: 27 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos