Meios digitais participativos: o difícil trânsito do receptor ao produtor

Autores

  • María Soledad Segura Universidad Nacional de Córdoba

Palavras-chave:

Palavra Meios digitais. Participação. Acesso. Limitações.

Resumo

Durante a profunda crise econômica e institucional e a intensa mobilização social e política que os argentinos viveram no início do século, multiplicaram as experiências de comunicação alternativa que tentaram responder às exigências de expressão e de informação de grandes setores da população. Muitos destes novos meios sejam desenvolvidos em digital. Em suas tentativas de construir novos modelos de comunicação, essas iniciativas fizeram modificações dos papéis tradicionais dos sujeitos do processo de comunicação (jornalistas e público) que tendia a desintermediação e a maior participação. A participação é um dos princípios fundamentais da tradição latino-americana que definiu a política de comunicação como condição de "comunicação democrática". No entanto, estas propostas apresentaram sérias dificuldades e limitações significativas para a mudança da passiva recepção do público à atividade produtiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

María Soledad Segura, Universidad Nacional de Córdoba

Licenciada en Comunicación Social, Magister en Comunicación y Cultura Contemporánea, Doctora en Ciencias Sociales. Profesora Asistente por Concurso de la Universidad Nacional de Córdoba. Becaria Postdoctoral de CONICET. Argentina.

Publicado

2013-12-19

Como Citar

SEGURA, M. S. Meios digitais participativos: o difícil trânsito do receptor ao produtor. Em Questão, Porto Alegre, v. 19, n. 2, p. 74–98, 2013. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/39273. Acesso em: 28 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos