Mídia e individuação semioestética

Autores

  • Guilherme Nery Atem Universidade Federal Fluminense

Palavras-chave:

Mídias. Individuação semioestética. Subjetividades.

Resumo

Este artigo tem como objetivo mapear, por uma revisão da literatura da área, os fundamentos filosóficos e semióticos da produção de subjetividades contemporânea, por meio das mídias. Para isso, são retomadas e articuladas a filosofia do empirismo (Hume) e a teoria semiótica (Peirce), a partir de uma interpretação ontológica (Deleuze) da subjetividade contemporânea. Se a cultura em geral já produz subjetividades, as mídias em particular especificam e intensificam algumas dessas formas de subjetivação. Os processos midiáticos de semiose pressupõem um “modo” de constituição dos sujeitos – mais pela forma do que pelo conteúdo –, e isso traz desdobramentos tanto ontológicos quanto políticos. Concluímos que aquilo que denominamos “Semiocapitalismo” (ou “Capitalismo Semiótico”) se tornou a instância fundamental dos atuais “modos de subjetivação” – o que pressupõe novas relações semioestéticas de individuação, bem como novas potências e impotências de existir. PALAVRAS-CHAVE: Mídias. Individuação semioestética. Subjetividades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Nery Atem, Universidade Federal Fluminense

Possui graduação em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda - pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso (1995); especialização em Filosofia Contemporânea pela PUC-Rio (1997); mestrado em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000); mestrado em Letras / Lingüística, pela UERJ (2009) e doutorado em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2004). Atualmente é professor Adjunto 2 da Universidade Federal Fluminense (IACS / Deptº Comunicação Social). Tem experiência na área de Comunicação Social, com ênfase em Teoria da Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: pensamento político, semiótica e teorias da linguagem, análise do discurso, filosofia contemporânea, publicidade e propaganda, cultura do consumo. É professor credenciado no PPGCOM (Programa de Pós-Graduação em Comunicação) da UFF.

Downloads

Publicado

2010-12-20

Como Citar

ATEM, G. N. Mídia e individuação semioestética. Em Questão, Porto Alegre, v. 16, n. 2, p. 135–147, 2010. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/13624. Acesso em: 24 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos