Museu Etno-Arqueológico de Itajaí: espaço comunitário de memórias coletivas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245281.380-401

Palavras-chave:

Patrimônio Cultural, Memória, Informação, Ética, Museu Etno-Arqueológico

Resumo

O artigo propõe algumas reflexões sobre o espaço do Museu EtnoArqueológico de Itajaí, que ocupou a edificação da antiga estação ferroviária e hoje apresenta-se como um espaço comunitário, ressignificando as memórias coletivas da época, preservando, assim, a história da Estrada de Ferro Santa Catarina, considerada sua importância no Vale do Itajaí. O museu oportuniza partilhar a etnografia rural e local do bairro Itaipava e, por meio dos sambaquis, sua arqueologia. Ao enaltecer sua história, descreve um passado não tão distante e apresenta memórias coletivas daquele espaço-tempo. O objetivo desta pesquisa consiste na reflexão sobre a ética da criação do museu, na história do patrimônio edificado e das memórias internalizadas naquele espaço comunitário que foi a Estação Ferroviária Engenheiro Vereza e, atualmente, o Museu EtnoArqueológico. Na fundamentação conceitual aprofunda-se as apreciações de Le Goff (2013) e Pierre Nora (1993) para abordar a história e memória, bem como o conceito de Halbwachs (2006) sobre memória coletiva. Também são utilizadas as considerações de Vázquez (2014) sobre ética e de Besterman (2006) na relação da ética com o museu e sua história com a comunidade, concentrando-se na abordagem qualitativa e nos preceitos do método fenomenológico de Moreira (2002) para analisar as experiências dos indivíduos que viveram e vivem em torno daquele espaço comunitário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Eduardo Ignácio, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Mestrando; Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil;

carlos.gestor@gmail.com 

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Unidades de Informação da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Graduado em Administração Escolar (UNIVALI) e Educação Artística (FURB). E-mail: carlos.gestor@gmail.com / https://orcid.org/0000-0002-1207-9882

Daniella Câmara Pizarro, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Doutora; Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil;

daniellapizarro@hotmail.com 

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), professora no Centro de Ciências Humanas e da Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina (FAED/UDESC). E-mail: daniellapizarro@hotmail.com / https://orcid.org/0000-0003-3544-8529.

Tânia Regina da Rocha Unglaub, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Doutora; Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil;

taniaunglaub@gmail.com.br

Doutora em História (2008) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), professora efetiva da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Atua como docente no Centro de Educação a Distância da Universidade (CEAD/UDESC) e no Programa de Pós-Graduação em Gestão de Unidades de Informação na linha de pesquisa Informação, Memória e Sociedade. E-mail: taniaunglaub@gmail.com.br / https://orcid.org/0000-0002-5929-5275

Downloads

Publicado

2021-12-07

Como Citar

IGNÁCIO, C. E.; PIZARRO, D. C.; UNGLAUB, T. R. da R. Museu Etno-Arqueológico de Itajaí: espaço comunitário de memórias coletivas. Em Questão, Porto Alegre, v. 28, n. 1, p. 380–401, 2021. DOI: 10.19132/1808-5245281.380-401. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/109520. Acesso em: 24 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)