Modelo de maturidade em gestão do conhecimento: uma visão diacrônica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19132/1808-5245273.350-374

Palavras-chave:

Modelo de maturidade, Gestão do conhecimento, Modelo de maturidade em gestão do conhecimento, ISO 30 401.

Resumo

O presente artigo propõe um modelo de maturidade em gestão do conhecimento, a partir de levantamento na literatura dos modelos existentes, observados os fundamentos e a evolução da gestão do conhecimento. O método utilizado foi a pesquisa exploratória qualitativa, com revisão de literatura científica baseado no ranking criado pelo aplicativo de acesso livre Publish or Perish, utilizando uma variedade de fontes de dados científicas (incluindo Google Scholar e Microsoft Academic Search). O modelo resultante atende plenamente à ISO 30401 (Sistemas de Gestão do Conhecimento), com seis dimensões: Pessoas, Cultura, Governança, Processos, Arquitetura Organizacional e Infraestrutura e Tecnologia, representando os principais habilitadores do conhecimento e seis níveis de maturidade: 0 - Indivíduo, 1 - Grupo, 2 - Organização, 3 - Inovação, 4 - Rede, 5 – Plenitude, representando o caminho de evolução da gestão do conhecimento. O modelo proposto se baseia no conceito de conhecimento como um fenômeno social e mental que não pode ser gerenciado diretamente. Conclui-se, então, que a maturidade da gestão do conhecimento numa organização pode ser representada como níveis de maturidade individuais para um conjunto de habilitadores do conhecimento, indicando o perfil do sistema de gestão do conhecimento e mostrando quão efetivo pode ser.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anderson Luis Cambraia Itaborahy, Universidade de Brasília - UnB Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia - Ibict

Mestre em Gestão do Conhecimento e da TI pela Universidade Catílica de Brasília. Doutorando no Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da Universidade de Brasília.
Coordenador Geral de Pesquisa e Desenvolvimento de Novos Produtos no Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia.

Renato Plácido Mathias Machado, Caixa Econômica Federal - CAIXA

Graduado em Administração pela UCB, Especialista em Gestão da Qualidade em Serviços e Recursos Humanos pela UnB e Mestre em Gestão do Conhecimento e da TI pela UCB com ênfase em Gestão da Informação em Organizações Públicas.

Lillian Maria Araújo de Resende Alvares, Universidade de Brasília, Faculdade de Ciência da Informação

Professora da Faculdade de Ciência da Informação da Universidade de Brasília (UnB), desde 2006, onde ocupou os cargos de Coordenadora do Curso de Graduação em Museologia de abril de 2010 a abril de 2012 e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCInf/UnB) de junho de 2012 a janeiro de 2014. Atualmente é Coordenadora do Curso de Graduação em Arquivologia (de outubro de 2018 a outubro de 2020). Pós-doutora pela Escola Superior de Tecnologia i Ciències Experimentals da Universitat Jaume I, Espanha. Doutora em Ciência da Informação pela Universidade de Brasília e pela Université du Sud Toulon-Var (Doctorat de Sciences de l´Information et de la Communication) em regime de cotutela em 2010. Especialista em Inteligência Competitiva pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Instituto Nacional de Tecnologia (INT) e Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict) em 2001. Mestre em Biblioteconomia pela Universidade de Brasília (1997) e Graduada em Engenharia Mecânica (1990) pela mesma universidade.

Downloads

Publicado

2021-06-30

Como Citar

ITABORAHY, A. L. C.; MACHADO, R. P. M.; ALVARES, L. M. A. de R. Modelo de maturidade em gestão do conhecimento: uma visão diacrônica. Em Questão, Porto Alegre, v. 27, n. 3, p. 350–374, 2021. DOI: 10.19132/1808-5245273.350-374. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/105497. Acesso em: 24 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos