A bilateralidade Uruguai-Brasil nas presidências de José Mujica e Dilma Rousseff: notas sobre a política externa uruguaia

Rafael Alvariza Allende

Resumo


Em 1° de março de 2005, a coalizão de partidos políticos progressistas Frente Amplio assumiu o Poder Executivo depois de ter ganhado as eleições presidenciais de 2004, acontecimento eleitoral e político sem precedentes no  Uruguai. A conformação do primeiro governo de esquerda neste país levou à mudanças em sua política externa e um novo modelo de inserção internacional. A seguir, vamos analisar primeiramente a política externa uruguaia durante os governos progressistas a partir de uma caracterização geral desta e da dimensão internacional no programa de governo frenteamplista. Seguiremos com uma breve  análise da política externa de José Mujica e de seu relacionamento com o Brasil de Dilma Rousseff, para finalizar, em uma terceira seção, com a dimensão global, regional e bilateral das atuais agendas de cooperação.

 


Palavras-chave


Uruguai; Brasil; Política exterior; Bilateralidade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2178-8839.54403



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 

Conjuntura Austral - ISSN: 2178-8839

       UFRGS