Desenvolvimento subnacional e política externa: a participação dos entes federados na política externa brasileira para questão amazônica

André Luiz Reis da Silva, Felipe de Macedo Teixeira

Resumo


A presente pesquisa propõe-se a analisar as relações entre o Governo Federal e os entes federados na formação da política externa brasileira (PEB) para a questão amazônica. Para isso busca-se pesquisar como os entes subnacionais da Amazônia Legal desenvolveram as políticas de proteção da Floresta através da busca por investimentos externos para suas políticas. Escolhe-se o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID, ou IDB – Inter-american Development Bank) como referencial de análise, tendo em vista que foi uma das instituições financeiras internacionais pioneiras no reconhecimento dos entes subnacionais enquanto atores das relações internacionais. Assim, o artigo terá como problemática central a análise se a dimensão subnacional dos entes federados da Amazônia Legal foi fortalecida através dos investimentos do BID na região em questões ambientais. O estudo de tais investimentos constitui as fontes primárias centrais, cuja abordagem qualitativa e quantitativa destes será cruzada com uma revisão bibliográfica acerca de dois debates da Análise de Política Externa (APE), a pluralização de atores, e o caráter de políticas públicas da política externa.

Palavras-chave


Paradiplomacia; Floresta Amazônica; Banco Interamericano de Desenvolvimento;

Texto completo:

PDF

Referências


BANZATTO, Arthur Pinheiro de Azevedo. A Inserção Internacional gos Governos Subnacionais brasileiros através da Diplomacia Federativa e da paradiplomacia. Trabalho apresentado no 5º Encontro Nacional da ABRI 29 a 31/07/2015, Belo Horizonte – MG. 2015

BEZERRA, Joana Carlos. O papel do Meio Ambiente na Política Externa Brasileira. Idéias. Campinas, n. 6 (nova série), 1º semestre, 2013, p. 151-173.

BRANCO, Álvaro Chagas Castelo. Paradiplomacia e Entes Não-centrais no Cenário Internacional. 1º ed. (ano 2008), 1º reimpr. Curitiba: Juruá, 2011. 156p.

BRASIL. Resenha de Política Exterior do Brasil.Ministério das Relações Exteriores. Número 76, 1º semestre de 1995, ano 21, ISSN 0101 2428. Disponível em: . Acesso em::30 nov. 2019.

BUENO, Ironildes. Paradiplomacia Contemporânea: Trajetórias e Tendências da atuação Internacional dos Governos Estaduais do Brasil e dos Estados Unidos. Tese em Relações Internacionais. Universidade de Brasília - UnB. Instituto de Relações Internacionais, 2010. 330p.

CORNAGO, Noe. On the Normalization of Sub-State Diplomacy. The Hague Journal of Diplomacy, vol. 5, p. 11-36. 2010.

DUCHACEK, Ivo D. Perforated sovereignties: toward a typology of new actors in international relations. In: MICHELMANN, Hans J. and SOLDATOS, Panayotis. Federalism and international relations: the role of subnational units. New York: Oxford University Press, 1990.

FARIA, Carlos Aurélio Pimenta de. Itamaraty e a Política Externa Brasileira: Do Insulamento à Busca de Coordenação dos Atores Governamentais e de Cooperação comos Agentes Societários. Contexto Internacional. Rio de Janeiro, vol. 34, no 1, janeiro/junho 2012, p. 311-355.

FEARNSIDE, P.M. Environmental policy in Brazilian Amazonia: Lessons from recent history. Novos Cadernos NAEA, Belém,19(1), 2016, p. 27-46.

FIGUEIRA, Ariane Roder. Rupturas e continuidades no padrão organizacional e decisório do Ministério das Relações Exteriores. Rev. Bras. Polít. Int., Brasília, 53 (2), p. 5-22. 2010.

GOMES FILHO, Francisco. A Paradiplomacia Subnacional no Brasil: uma Análise da Política de Atuação Internacional dos Governos Estaduais Fronteiriços da Amazônia. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da Universidade de Brasília - UnB. Brasília, 2011. 276p.

GOMES FILHO, F.; VAZ, A.C. A paradiplomacia no contexto da Amazônia Brasileira: estratégias de desenvolvimento regional no Estado de Roraima. Amazônia: Ci. &Desenv., Belém, v. 4, n. 7, jul./dez. 2008.

HOCKING, B. Regionalism: an international lrelations perspective. In: KEATING, M.; LOUGHLIN, J. (Eds.). The political economy of regionalism. London: Frank Cass, 1997. p. 90-111.

INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. Project Profile. Inter-American Development Bank, 2013. Disponível em: idbdocs.iadb.org/wsdocs/getdocument.aspx?docnum=EZSHARE-1010290490-19. Acesso em: 10 nov. 2019.

INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO ACRE – PDSA II. Secretaria de Estado de Planejamento do Estado do Acre, 2012. Disponível em: idbdocs.iadb.org/wsdocs/getdocument.aspx?docnum=EZSHARE-1030308089-3. Acesso em 10 de novembro de 2019.

INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. BR-T1194. Improving Tropical Forest Management as a Strategy for CC Mitigation. Inter-American Development Bank, 2011. Disponível em: https://www.iadb.org/pt/project/BR-T1194. Acesso em 10 de novembro de 2019.

INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. TC0001015: ForestryEvaluation in theStateof Acre. Inter-American Development Bank, 2019. Disponível em: https://www.iadb.org/pt/project/TC0001015. Acesso em 10 dezembro de 2019.

INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. TC0003042: StrengtheningExtractiveActivities Acre. Inter-AmericanDevelopment Bank, 2019a. Disponível em: https://www.iadb.org/pt/project/TC0003042. Acesso em 10 dezembro de 2019.

INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. TC9703184: Sustainable Use Tropical Forest in Acre. Inter-American Development Bank, 2000. Disponível em: https://www.iadb.org/pt/project/TC9703184. Acesso em 10 dezembro de 2019.

INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. Sustainable Use ofthe Tropical Forest in Acre: Operation No. ATN/JF-6980-BR. Inter- American Development Bank, 2000a. Disponível em: idbdocs.iadb.org/wsdocs/getdocument.aspx?docnum=EZSHARE-1207372386-235. Acesso em 10 dezembro de 2019.

INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. BR-T1275: Linking climate change mitigation to community based forest management in Amapá. Inter-American Development Bank, 2013a. Disponível em: https://www.iadb.org/pt/project/BR-T1275. Acesso em 10 dezembro de 2019.

INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. TCABSTRACT – Linking Climate Change Mitigation and Adaptation in the Forests of Amapá, BR-T1275. Inter-American Development Bank, 2012a. Disponível em: idbdocs.iadb.org/wsdocs/getdocument.aspx?docnum=EZSHARE-1034491201-3. Acesso em 10 dezembro de 2019.

INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. TC9701443: Environmental Conservation in Tocantins. Inter-American Development Bank, 2019b. Disponível em: https://www.iadb.org/pt/project/TC9701443. Acesso em 10 dezembro de 2019.

INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. BRX1028: Low Carbon Agriculture and Avoided Deflorestation for reducing Poverty. Inter-American Development Bank, 2013b. Disponível em: https://www.iadb.org/pt/project/BR-X1028. Acesso em 10 dezembro de 2019.

INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. BR-T1287: Planning and Capacity Building of theTransition Fund for ARPA for Life. Inter-American Development Bank, 2013c. Disponível em: https://www.iadb.org/pt/project/BR-T1287. Acesso em 10 dezembro de 2019.

INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. TC ABSTRACT. Inter-American Development Bank, 2013d. Disponível em: idbdocs.iadb.org/wsdocs/getdocument.aspx?docnum=EZSHARE-200512749-2. Acesso em 10 de dezembro de 2019.

INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. BRT293: Planing and Capacity Building of theTransition Fund for ARPA for Life. Inter-American Development Bank, 2013e. Disponível em: https://www.iadb.org/pt/project/BR-T1293. Acesso em 11 novembro de 2019.

INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. BR-T1284: Assessment of the Impacts of Climate on the Stability of the Amazon Rainforest. Inter-AmericanDevelopment Bank, 2013f. Disponível em: https://www.iadb.org/pt/project/BR-T1284. Acesso em 11 novembro de 2019.

¬¬¬INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. TC ABSTRACT. Inter-American Development Bank, 2013g. Disponível em: idbdocs.iadb.org/wsdocs/getdocument.aspx?docnum=EZSHARE-1169965205-2. Acesso em 11 dezembro de 2019.

INTER-AMERICAN DEVELOPMENT BANK. BR-T1014: Program to Support the Amazon Protection System. Inter-American Development Bank, 2005. Disponível em: https://www.iadb.org/pt/project/BR-T1014. Acesso em 15 dezembro de 2019.

KINCAID, John. Constituent diplomacy in federal politics and the Nation-state: conflict and cooperation. In: MICHELMANN, Hans J. e SOLDATOS, Panayotis. Federalism and international lrelations: the role of subnational units. New York: Oxford University Press, 1990.

KEATING, Michael. Regiones y asuntosinternacionales: motivos, oportunidades estrategias. In: VIGEVANI, Tullo; WANDERLEY, Luiz Eduardo; BARRETO, Maria Inês e MARIANO, Marcelo Passini (orgs.). A dimensão subnacional e as relações internacionais. São Paulo: EDUC, Editora UNESP, EDUSC, FAPESP, 2004

MEIRELLES, Thiago de O. Da Diplomacia federativa à cooperação internacional federativa. Dissertação de Mestrado em Ciência Política. São Paulo: Universidade de São Paulo. Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da Universidade de São Paulo, 2016.

MIKLOS, Manoela S. A inserção internacional de unidades subnacionais percebida pelo estado nacional: a experiência brasileira. Dissertação de Mestrado em Ciência Política. São Paulo: Universidade Estadual Paulista, Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais San Tiago Dantas, 2010.

MIKLOS, Manoela. Diplomacia Federativa: O estado brasileiro e a atuação internacional de suas unidades constituintes. Trabalho presentado ao 3o Encontro Nacional da Associação Brasileira de Relações Internacionais (ABRI), São Paulo, 2011.

MILANI, Carlos R. S.; PINHEIRO, L. Política externa brasileira: os desafios de sua caracterização como política pública. Contexto Internacional, Rio de Janeiro, v. 35, n. 01, p. 11-41, 2013.

MOREIRA, Paula Gomes. Governos subnacionais amazônicos: novos padrões de relacionamento na conjuntura internacional contemporânea. Contexto internacional, Rio de Janeiro , v. 35, n. 1, p. 105-137, Junho 2013 . Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-85292013000100004&lng=en&nrm=iso. Acesso em 10 de dezembro de 2019.

NUNES, Carmem J. S. A paradiplomacia no Brasil: o caso do Rio Grande do Sul. Dissertação de Mestrado em Relações Internacionais. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2005.

SALOMÓN, M.; PINHEIRO, Leticia. Análise de Política Externa e Política Externa Brasileira: Trajetória, Desafios e Possibilidades. Revista Brasileira de Política Internacional, Brasília, v. 56, n. 01, p. 40-59, 2013.

SALOMÓN, Mónica. A dimensão subnacional da política externabrasileira: determinantes, conteúdos e perspectivas. In: PINHEIRO, Leticia; MILANI, Carlos R.S. Política externa brasileira: a política das práticas e as práticas da política. 1º ed. Rio de Janeiro: Editora FGV. 2011.

SOLDATOS, Panayotis. “An explanatory framework for the study of federated states as foreign-policy actors”. In: MICHELMANN, Hans J. e SOLDATOS, Panayotis. Federalism and international relations: the role of subnational units. New York: Oxford University Press, 1990.

SOMBRA SARAIVA, José Flávio. A busca por um novo paradigma: política exterior, comércio externo e federalismo no Brasil. Revista Brasileira de Política Internacional, Brasília, n°47, n.02, 2004, pp. 131-162.

TAVARES, Rodrigo. Paradiplomacy: cities and states as global players. Nova York: Oxford University Press. 2016.

VIGEVANI, Tullo. Problemas para a atividade internacional das unidades subnacionais: São Paulo e o contexto brasileiro. In: Primeiro Relatório Científico da Pesquisa “Gestão pública e inserção internacional das cidades. São Paulo: CEDEC/UNESP/PUC-SP/FGV- FAPESP, 2006.




DOI: https://doi.org/10.22456/2178-8839.112129



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 

Conjuntura Austral - ISSN: 2178-8839

       UFRGS