Relações Centro-Periféricas: a imperfeição de poderes entre Estados Unidos, Brasil e Venezuela

Thiago Gehre, Virgílio Caixeta Arraes

Resumo


O artigo trata do relacionamento desigual recente entre Estados Unidos, Brasil e Venezuela, à luz do conceito de Centro e Periferia. Nele, Washington é o centro, ao passo que Brasília e Caracas disputam espaço na periferia do sistema, o que delineia historicamente uma relação imperfeita de poderes. Em função da diminuição da influência da Casa Branca nos últimos anos, houve a possibilidade de maior autonomia do Planalto e Miraflores em suas movimentações regionais e até globais. Todavia, isso não se sustentou por muito tempo, em decorrência de problemas políticos e econômicos internos nos dois países. Acrescente-se também que a busca por autonomia não significou o rompimento com os Estados Unidos, a despeito da retórica às vezes inflamada como no caso da Venezuela. A relação é pendular como se pôde constatar a aproximação estreita entre Donald John Trump e Michel Miguel Elias Temer e depois Jair Messias Bolsonaro. Com a substituição de Trump por Joe Biden, aguarda-se nova conformação triangular.


Palavras-chave


Centro e Periferia; Sistema Mundo; Relações Internacionais na América do Sul; Política Externa Brasileira; Venezuela;

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, Perry. Afinidades seletivas. São Paulo: Boitempo, 2002.

ALENCAR, José Almino de. Gordos, magros e guenzos. Recife: Companhia Editora de Pernambuco, 2017.

ARRAES, Virgílio; GEHRE, Thiago. O Brasil entre Washington e Caracas: história e política externa (1902-2012). In: AVILA, Carlos Federico Dominguez. (Org.). Política, cultura e sociedade na América Latina: estudos interdisciplinares e comparativos. Curitiba: CRV, 2012, v. 1, p. 220-248.

ARRIGHI, Giovanni. O longo século XX. Rio de Janeiro: Contratempo, 1996.

BANDEIRA, Luiz Alberto Moniz. Formação do Império americano. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2005.

BARBARA, Vanessa. Brazil, the Outlaw´s Paradise. New York Times. New York, 6 jun. 2015. Disponível em: https://www.nytimes.com/2015/02/06/opinion/vanessa-barbara-brazil-the-outlaws-paradise.html. Acesso em 10 jul. 2020

BBC. 'Drug dealers, criminals, rapists': What Trump thinks of Mexicans. BBC. London. 31 aug. 2016. Disponível em: https://www.bbc.com/news/av/world-us-canada-37230916. Acesso em 10 ago. 2020

BORON, Atílio. Império. Imperialismo. Buenos Aires: Clacso, 2002.

BRAUDEL, Fernand. A dinâmica do capitalismo. Rio de Janeiro: Rocco, 1987.

CARDOSO, Fernando Henrique; FALETTO, Enzo. Dependência e desenvolvimento na América Latina. 4 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1977.

CERVO, Amado. Inserção internacional. São Paulo: Saraiva, 2008

CERVO, Amado; BUENO, Clodoaldo. História da política exterior do Brasil. 2 ed. Brasília: Universidade de Brasília, 2002.

CHACRA, Guga. De Washington a Brasília – Lula era amigo de Bush; FHC, de Clinton. E Dilma e Obama? Estado de São Paulo. São Paulo, 1º nov. 2010. Disponível em: https://internacional.estadao.com.br/blogs/gustavo-chacra/de-washington-a-brasilia-lula-era-amigo-de-bush-fhc-de-clinton-e-dilma-e-obama/. Acesso em 8 jul. 2020.

CHOMSKY, Noam. Noam Chomsky: “As pessoas já não acreditam nos fatos”. El Pais. Madri, 12 mar. 2018. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/03/06/cultura/1520352987_936609.html. Acesso em 9 jul. 2020.

CORDEIRO, Tiago. O que acontece quando um brasileiro decide ir morar nos EUA. Gazeta do Povo. Curitiba, 15 abr. 2018. Disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/ideias/o-que-acontece-quando-um-brasileiro-decide-ir-morar-nos-eua-bo0rdh9fuawlhsj35l0jkuaq0 . Acesso em 8 jul. 2020.

DANILOVIC, Vesna. When the stakes are high: deterrence and conflict among major Powers. University of Michigan 2002.

DUROSELLE, Jean Baptiste. Todo império perecerá. Brasília: Universidade de Brasília, 2000.

FERGUSON, Niall. Civilização: Ocidente x Oriente. São Paulo: Planeta, 2011.

GALVÃO, Thiago Gehre. América do Sul: uma ideia brasileira em marcha. Curitiba, Juruá, 2009.

GALVÃO, Thiago Gehre; LESSA, Antônio Carlos Moraes; BECARD, Danielly Silva Ramos. Rise and fall of triumphalism in Brazilian foreign policy: the international strategy of the Workers Partys´s governments (2003-2016). In: Status and the rise of Brazil. ESTEVES, Paulo; JUMBERT, Maria Gabrielsen; CARVALHO, Benjamin. (Eds). London: Palgrave Macmillan, 2019, p.71-88.

GOUGH, Barry. Pax Britannica. Ruling the Waves and Keeping the Peace before Armageddon. London: Palgrave MacMillan, 2014.

HERZ, Mônica. Organizações internacionais: história e práticas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

HOBSBAWM, Eric. Projeto norte-americano está falindo. Folha de São Paulo. São Paulo, 22 set. 2020. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/folha-100-anos/2020/09/projeto-norte-americano-esta-falindo-disse-hobsbawm-a-folha-em-2007.shtml. Acesso em 23 set. 2020

KISSINGER, Henry. Diplomacia. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2001.

LAYNE, Christopher. The Waning of US Hegemony – myth or reality. International Security, v.34, n.1, 2009.

MANN, Michael. The sources of social power. V.4. Globalizations, 1945–2011. Cambridge University, 2013.

MARINI, Ruy Mauro. América Latina, dependencia y globalización. Buenos Aires: Siglo XXI; CLACSO, 2015.

MARTINS, Carlos Eduardo. Globalização, dependência e neoliberalismo na América Latina. São Paulo: Boitempo, 2011

MOWLE, Thomas; SACKO David. The Unipolar World an Unbalanced Future. London: Palgrave Macmillan, 2007.

NYE, Joseph. O paradoxo do poder americano. São Paulo: Universidade Estadual Júlio de Mesquita, 2002.

NYE, Joseph. The future of power. New York: Public Affairs, 2011.

RENOUVIN, Pierre. Introdução à história das relações internacionais. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1967.

SEITENFUS, Ricardo. Manual das organizações internacionais. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 1997.

SELCHER, Wayne A. Use of Internet Sources in International Studies Teaching and Research. International Studies Perspectives. Oxford, v.6, n.2, p. 174–189, 2005.

SERRA, José. Discurso do ministro José Serra por ocasião da cerimônia de transmissão do cargo de ministro de estado das Relações Exteriores. Ministério das Relações Exteriores. Brasília, 18 maio 2016. Disponível em: http://www.itamaraty.gov.br/discursos-artigos-e-entrevistas-categoria/ministro-das-relacoes-exteriores-discursos/14038-discurso-do-ministro-jose-serra-por-ocasiao-da-cerimonia-de-transmissao-do-cargo-de-ministro-de-estado-das-relacoes-exteriores-brasilia-18-de-maio-de-2016. Acesso em 22 set. 2020.

STEWART, Brian. The most popular politician on Earth. CBC. Toronto, 7 may 2009. Disponível em: https://www.cbc.ca/news/world/the-most-popular-politician-on-earth-1.810078. Acesso em 14 jul. 2020.

STUENKEL, Oliver. Trump Drove Latin America Into China’s Arms Biden Has a Chance to Wrest It Back. Foreign Affairs. New York, 13 nov. 2020. Disponível em: https://www.foreignaffairs.com/articles/south-america/2020-11-13/trump-drove-latin-america-chinas-arms. Acesso em 10 dez. 2020.

VERA, Andres. Breve história da amizade entre presidentes. Época. Rio de Janeiro, 27 nov. 2009. Disponível em: http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI107284-15227,00-BREVE+HISTORIA+DA+AMIZADE+ENTRE+PRESIDENTES.html. Acesso em 14 jul. 2020.

VERDELHO, Telmo. Dicionários portugueses, breve história. In: NUNES, Jose; PETTER, Margarida (Eds). História do saber lexical e constituição de um léxico brasileiro. São Paulo: Universidade de São Paulo; Pontes, 2002, p.15-64.

WALLERSTEIN, Immanuel. World-Systems Analysis: an introduction. Durham and London: Duke University, 2004

WEISS, Thomas; ROY, Pallavi. The UN and the Global South, 1945 and 2015. New York: Routledge, 2017

WIGHT, Martin. A política do poder. Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão, 2002.




DOI: https://doi.org/10.22456/2178-8839.110964



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

 

Conjuntura Austral - ISSN: 2178-8839

       UFRGS