A PRÁTICA DE INICIAÇÃO À PESQUISA EM UMA TURMA DE ALFABETIZAÇÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/2595-4377.84602

Palavras-chave:

Infância. Iniciação à pesquisa. Produção de conhecimento. Letramentos.

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar o trabalho desenvolvido em uma turma de 1º ano do 1º Ciclo no Centro Pedagógico da UFMG, em 2016, nas aulas de Iniciação à Pesquisa, disciplina que tem como proposta assegurar que as crianças pesquisem temas de interesse, por meio de grupos de estudo formados de acordo com os temas escolhidos. O foco é fazer com que os educandos vivenciem e aprendam várias etapas e habilidades relacionadas à pesquisa científica. A metodologia de trabalho utilizada foi o ensino investigativo, uma ferramenta didática organizada a partir dos seguintes elementos: pergunta, busca e interpretação de informações, escrita, socialização dos resultados (por meio das linguagens oral e escrita). Apoiamo-nos na concepção de ensino experimental e investigativo, buscando romper com um tipo de educação formal focada na repetição de informações. Visamos à familiarização do estudante com a pesquisa, orientando-o para a investigação de fenômenos e temas que evidenciam a utilidade do conhecimento científico para o bem-estar social e para a formação de cidadãos críticos. É possível afirmar que o trabalho de iniciação à pesquisa, desenvolvido com as crianças pequenas, possibilitou uma nova forma de organização dos tempos e espaços escolares, contribuindo para a ampliação do currículo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Elisa de Araújo Grossi, Centro Pedagógico da UFMG

Professora alfabetizadora do Núcleo Básico do Centro Pedagógico da Universidade Federal de Minas Gerais.

 

Patrícia Barros Soares Batista, Centro Pedagógico / UFMG

Professora alfabetizadora do Núcleo Básico do Centro Pedagógico da UFMG.

Downloads

Publicado

2018-04-17

Edição

Seção

Relatos de Experiência