A PRÁTICA DE INICIAÇÃO À PESQUISA EM UMA TURMA DE ALFABETIZAÇÃO

Maria Elisa de Araújo Grossi, Patrícia Barros Soares Batista

Resumo


Este artigo tem como objetivo apresentar o trabalho desenvolvido em uma turma de 1º ano do 1º Ciclo no Centro Pedagógico da UFMG, em 2016, nas aulas de Iniciação à Pesquisa, disciplina que tem como proposta assegurar que as crianças pesquisem temas de interesse, por meio de grupos de estudo formados de acordo com os temas escolhidos. O foco é fazer com que os educandos vivenciem e aprendam várias etapas e habilidades relacionadas à pesquisa científica. A metodologia de trabalho utilizada foi o ensino investigativo, uma ferramenta didática organizada a partir dos seguintes elementos: pergunta, busca e interpretação de informações, escrita, socialização dos resultados (por meio das linguagens oral e escrita). Apoiamo-nos na concepção de ensino experimental e investigativo, buscando romper com um tipo de educação formal focada na repetição de informações. Visamos à familiarização do estudante com a pesquisa, orientando-o para a investigação de fenômenos e temas que evidenciam a utilidade do conhecimento científico para o bem-estar social e para a formação de cidadãos críticos. É possível afirmar que o trabalho de iniciação à pesquisa, desenvolvido com as crianças pequenas, possibilitou uma nova forma de organização dos tempos e espaços escolares, contribuindo para a ampliação do currículo.


Palavras-chave


Infância. Iniciação à pesquisa. Produção de conhecimento. Letramentos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2595-4377.84602

Direitos autorais 2018

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN 0103-6041
ISSN 2595-4377 (online)


Indexadores

Apoio e fomento