Conhecendo-SE para conservar-SE: prática educativa interdisciplinar entre Ciências e Redação

Christiane Ramos Donato

Resumo


O projeto foi posto em prática no ano de 2009, em uma escola da rede particular de ensino em Aracaju, Sergipe, com seis turmas dos sétimos anos. Teve como objetivo geral despertar nos estudantes a importância da conservação da cultura e, também, do conhecimento sadio da interação pessoal de cada um com: seu próprio corpo, seus colegas e o meio ambiente do Estado de Sergipe. Para atingir esse objetivo, o trabalho foi dividido em três etapas: levantamento bibliográfico e coleta de dados sobre os temas abordados; disponibilização das informações coletadas à disposição dos alunos durante as aulas das disciplinas de Ciências e Redação; verificação do aprendizado e sensibilização dos estudantes a partir do resgate do tema, mas desta vez com criações próprias deles. Observou-se que o andamento das atividades organizadas por um tema transversal facilitou o aprendizado através da motivação, melhorando a participação nas aulas e, consequentemente, o rendimento escolar. 


Palavras-chave


Conservação; Interdisciplinaridade; Ensino de Ciências e Redação.

Texto completo:

PDF

Referências


AUSUBEL, David Paul. Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. Lisboa: Plátano Edições Técnicas, 2003.

BECKER, Fernando. A epistemologia do professor: o cotidiano da escola. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 1997.

BOURDIEU, Pierre. A Escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In: NOGUEIRA, Maria Alice & CATANI, Afrânio. (Organizadores). Escritos de Educação. Petrópolis: Vozes, 1998. p. 41-64.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. São Paulo: Brasiliense, 1981.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais/Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

COLL, César; MARTÍN, Elena; MAURI, Teresa; MIRAS, Mariana; ONRUBIA, Javier; SOLÉ, Isabel; ZABALA, Antoni. O construtivismo na sala de aula. São Paulo: Ática, 1998.

DURKHEIM, Émile. Educação e sociologia. 11 ed. São Paulo: Melhoramentos, 1978. p. 33-56.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pedagogia da pesquisa-ação. Educação e pesquisa, São Paulo, v.31, n.3, p. 483-502, set./dez. 2005.

KELLER, Fred Simmons; SHOENFELD, William Nathan. Princípios de psicologia: um texto sistemático na ciência do comportamento. São Paulo: Herder, 1968.

LOPES, Josiane. Jean Piaget: a lógica própria da criança como base do ensino. Nova Escola, São Paulo, ano 11, n. 95, p. 8-15, ago. 1996.

MORRISH, Ivor. Sociologia da Educação: uma introdução. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

MURRAY, Edward. Motivação e Emoção. Rio de Janeiro: Zahar, 1965.

PELIZZARI, Adriana; KRIEGL, Maria de Lurdes; BARON, Márcia Pirih; FINCK, Nelcy Teresinha Lubi; DOROCINSKI, Solange Inês. Teoria da Aprendizagem Significativa Segundo Ausubel. Revista PEC, Curitiba, v. 2, n. 1, p. 37-42, jul.2001- jul.2002.

ZABALA, Antoni. A Prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: ArtMed, 1998.




DOI: https://doi.org/10.22456/2595-4377.33030

Direitos autorais 2015

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN 0103-6041
ISSN 2595-4377 (online)


Indexadores

Apoio e fomento