A inclusão de crianças em situação de imigrantes na Educação Infantil de Porto Alegre - RS

Jeruza Santos Nobre, Joseane Frassoni dos Santos, Cláudia Rodrigues de Freitas

Resumo


O Brasil é um país constituído das e pelas imigrações, recebendo destaque na última década, aquelas provenientes do Sul Global, como Haiti e Venezuela. Considerando a chegada de crianças pequenas que possuem uma diferença na forma de comunicação em virtude das imigrações, o presente estudo objetivou prospectar e analisar os números referentes à matrícula de crianças pequenas em situação de imigrante no município de Porto Alegre – RS, direcionando o olhar à educação infantil. Como referencial sobre as imigrações, destacam-se Bulla et al. (2017; 2019), Silva et al. (2018), Pereira (2014; 2019), e na educação infantil, Barbosa (2010). É notável que, no Brasil, crianças, independentemente de sua origem e de sua situação jurídica, possuem direito de acesso igualitário à educação pública. A prospecção de dados ocorreu por meio dos Microdados disponibilizados pelo Censo Escolar (2019; 2020), o que se constituiu como disparador fundamental para o processo metodológico a fim de analisarmos como vem ocorrendo a inserção das crianças em situação de imigrantes no contexto escolar estudado. As análises apontam o alto número de matrículas em escolas privadas comunitárias e uma nova tendência em 2020, haja vista o crescimento do número de matrículas de crianças venezuelanas em relação a 2019.


Palavras-chave


Imigração. Educação infantil. Inclusão Escolar. Matrículas

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2595-4377.114039

Direitos autorais 2021

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN 0103-6041
ISSN 2595-4377 (online)


Indexadores

Apoio e fomento