Juventude(s): afinal, que sujeitos sociais são estes?

Juliana Souza Barbosa

Resumo


A presente reflexão tem por objetivo discorrer e revisitar três aspectos fundamentais no campo de estudos sobre as juventudes: a problemática conceitual do termo juventude, concebendo-o enquanto construção social e histórica; a concepção plural da(s) juventude(s),efetivamente, marcadas pela diferença/diversidade bem como a relação das juventudes com o espaço escolar. Tais questões são caras para o campo da Sociologia da Juventude assim como para a sociologia da educação. É recorrente, no campo educacional,o uso da categoria aluno (categoria abstrata e homogênea) para se referir aos jovens sem considerar que se trata de um jovem aluno, ou seja, a dimensão juvenil e as demandas destes sujeitos não entram em cena e/ou estão invisibilizadas.Dito isto, interessa analisar as contribuições teóricas de alguns dos autores expoentes do campo (PAIS; JUAREZ; ABRAMO; SPOSITO; PEREGRINO; CARRANO; GROPPO) para lançar luz sobre tais aspectos. A abordagem teórico-metodológica está ancorada nos estudos da sociologia da educação e da juventude, pesquisa qualitativa e bibliográfica.


Palavras-chave


Juventude; Juventude(s); Escola;

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2595-4377.111283

Direitos autorais 2021

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN 0103-6041
ISSN 2595-4377 (online)


Indexadores

Apoio e fomento