De sujeito a colaborador: a privação dos direitos das juventudes na era da liberdade neoliberal

Rocheli Koralewski, Gabriel Tamanchieviz Argenton

Resumo


Neste estudo é analisada a noção de liberdade difundida pelo neoliberalismo nas juventudes. A pluralidade de contradições que reverbera a partir da lógica do empreendedorismo, em vez de conceber a promessa de autonomia financeira, gera uma massiva privaçãode direitos sociais. Desde 2013, com a promulgação do Estatuto da Juventude (Lei 12.852), são previstas garantias que deveriam balizar ações do poder público no intuito de promover dignidade às pessoas de 15 a 29 anos. Todavia, mesmo compreendidas como sujeitos de direitos, as/os jovens experienciam uma condição juvenil marcada pela expansão de graves problemas estruturais. Assim, os discursos que impactam as juventudes são baseados no individualismo e na meritocracia: juntos geram uma sensação de liberdade que ocasiona uma superexploração. A construção de alternativas que valorizam a coletividade é uma forma de transgredir os valores neoliberais e construir uma liberdade que seja comungada por todas e todos.

Palavras-chave


Juventude; Neoliberalismo; Privação de Direitos

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2595-4377.111213

Direitos autorais 2021

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN 0103-6041
ISSN 2595-4377 (online)


Indexadores

Apoio e fomento