Políticas Públicas e Juventudes. Percursos no Brasil e em Portugal.

Eliana Perez Gonçalves de Moura, Silvia Zuffo

Resumo


Este artigo apresenta um ensaio a partir de uma revisão bibliográfica e documental que analisou como o Brasil e Portugal concebem e implementam políticas públicas de saúde voltadas para as juventudes, quais suas interfaces com a educação e seus efeitos de produção subjetiva. Aqui buscou-se empreender um resgate histórico sobre as políticas públicas destinadas às juventudes no Brasil e em Portugal, principalmente, nas áreas de educação e saúde a fim de evidenciar suas principais características. Em ambos os países, tais políticas resultam do reconhecimento dos direitos sociais constitucionalmente garantidos e são implementadas articulando saúde e educação tomando a escola como base de ação. Além disso, em ambos os países as políticas públicas priorizam questões de saúde, especialmente, no que se refere à prevenção da gravidez na adolescência, o consumo de álcool, o uso de drogas e as doenças sexualmente transmissíveis (DST). Conclui-se que, em ambos os países, a despeito de diferenças quanto a maior ou menor desigualdade social, as políticas públicas são determinantes na formação dos modos de ser dos jovens tanto no Brasil como em Portugal.


Palavras-chave


Políticas públicas. Saúde. Educação. Juventudes. Subjetividade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2595-4377.111121

Direitos autorais 2021

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN 0103-6041
ISSN 2595-4377 (online)


Indexadores

Apoio e fomento