Juventudes com vidas provisórias e em suspenso: onde aterrar? Considerações sobre o Ensino Médio Integrado e sua relação com os anseios da juventude da classe trabalhadora.

Arthur Rezende da Silva, Carolina Barros Pimenta

Resumo


Este artigo tem como intuito problematizar a relação existente entre a Educação Profissional e Tecnológica, mais especificamente, o Ensino Médio Integrado, com os dilemas e aspirações das Juventudes. Para isso, o artigo em tela, metodologicamente, fez uso do estudo de caso, tendo como método de coleta de dados a análise documental e revisão bibliográfica sobre o tema. O corpus analisado foram as diretrizes indutoras para a oferta de cursos técnicos integrados ao ensino médio na rede federal de educação profissional, científica e tecnológica e a Resolução do Instituto Federal Fluminense (IFF), nº 7, de 28 de fevereiro de 2019, que institui as diretrizes institucionais de articulação da Educação Profissional com Educação de Jovens e Adultos no IFF. A referida análise possibilitou constatar que os documentos oficiais apontam para o trabalho como princípio educativo e para uma formação integral destinadas às juventudes, o que pode representar, sobremaneira, aspectos positivos em relação às vidas suspensas e provisórias das juventudes, decorrente do modelo capitalista vigente.

Palavras-chave


Juventudes. Ensino Médio Integrado. Trabalho. Institutos Federais.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2595-4377.110981

Direitos autorais 2021

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN 0103-6041
ISSN 2595-4377 (online)


Indexadores

Apoio e fomento