Por uma pedagogia das juventudes: reflexões a partir de Paulo Freire e Boaventura de Sousa Santos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22456/2595-4377.108086

Palavras-chave:

Juventudes. Ecologia de saberes. Educação libertadora.

Resumo

O presente texto busca apresentar os pressupostos teóricos e metodológicos para a construção de um Pedagogia das juventudes, enquanto prática educativa emancipatória voltada ao atendimento das juventudes na escola. Para tal compreende-se a juventude como uma experiência psicossocial que perpassa os sujeitos jovens, sendo então possível considerar a existência de inúmeras juventudes. A partir desta premissa, surge a possibilidade de abarcar na prática educativa, em diferentes espaços e contextos, as diversidades de vivências e experiências dos jovens como um potencializador dos processos de aprendizagem e dos reconhecimentos no espaço escolar. A fim de construir tais pressupostos usa-se como recursos de reflexão neste campo os trabalhos de Paulo Freire e Boaventura de Sousa Santos, quanto aos processos de autonomia, luta contra a opressão e construção de ecologias de saberes. Desta forma, as estratégias de atuação no campo da educação voltadas às juventudes precisam possibilitar a construção de currículos mais flexíveis e voltados ao desenvolvimento dos alunos, a fim de que possam atuar cidadãos conscientes de seu papel na sociedade.  Com o objetivo de contribui com a construção de tal prática educativa, apresenta-se ao final das discussões, uma proposta on-line de formação de professores, gestores e responsáveis intitulada Oficina Pedagogia das Juventudes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucian da Silva Barros, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Doutorando em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Psicólogo. Mestre em educação pela USCS.

Downloads

Publicado

2021-04-28

Edição

Seção

Temática especial