Inquietudes de duas pesquisadoras quanto às reflexões de profissionais da educação infantil diante das relações etnicorraciais e o preconceito face aos imigrantes

Gisele Romildes Maçaneiro, Cyntia Bailer

Resumo


Os pressupostos apresentados neste estudo são recorte de uma pesquisa em desenvolvimento num Programa de Pós-graduação em Educação e tem como base a Sociologia da infância, a educação para as relações etnicorraciais e o preconceito face aos imigrantes diante da construção social. A coleta de dados foi realizada utilizando questionário com profissionais da Educação Infantil da Prefeitura Municipal de Florianópolis via e-mail e conversas via aplicativo de mensagem. Procurou-se, diante das respostas dos profissionais, refletir sobre posturas sociais naturalizadas no cotidiano das instituições educativas e com isso, sobre as formas como tais práticas socioeducativas produzem e revelam as questões etnicorraciais de forma estrutural. Considerando um discurso ainda muito forte das imagens racialmente propagadas da branquitude e a compreensão da existência de privilégios diante da cor, esta pesquisa constitui mais um subsídio para reflexões diante destas relações etnicorraciais.


Palavras-chave


Construção social. Educação infantil. Imigrantes. Relações etnicorraciais. Sociologia da infância.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2595-4377.106526

Direitos autorais 2021

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN 0103-6041
ISSN 2595-4377 (online)


Indexadores

Apoio e fomento