A TEORIA DO PROSPECTO: ESTIMAÇÃO DA FUNÇÃO UTILIDADE E DA FUNÇÃO PONDERAÇÃO DAS PROBABILIDADES PARA UMA AMOSTRA ESPECÍFICA

Marcos Paulo da Silva Falleiro, Carlos Eduardo Lobo e Silva, Silvio Hong Tiing Tai

Resumo


A partir da teoria do prospecto de Kahneman e Tversky (1979), este artigo investiga a função utilidade e a função ponderação das probabilidades de economistas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e, portanto, seu comportamento perante o risco, comparando-os aos resultados da literatura. Para tanto, é realizado um experimento com alunos e professores da graduação e pós-graduação da PUCRS usando um método de aplicação baseado em Gonzalez e Wu (1999) e parcialmente novo, o que permite minimizar efeitos de ordem e efeitos de escala. De posse das respostas, são estimados os parâmetros da função utilidade e da função de ponderação das probabilidades de cada participante. Os resultados encontrados mostram que os economistas da PUCRS apresentam um comportamento distinto da média encontrada na literatura econômica: possuem uma função utilidade mais linear e uma discriminação das probabilidades menor que os resultados da literatura. A extensão dos resultados sugere a existência de relevantes diferenças de comportamento dentro do grupo pesquisado de acordo com suas características demográficas. Além da obtenção dos resultados finais, este artigo tem o objetivo adicional de contribuir para o debate em uma área de importância crescente e ainda pouco desenvolvida no Brasil.


Palavras-chave


Teoria do prospecto; Tomada de decisão; Economia comportamental; Experimentos econômicos em laboratório

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.70753



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456