MERCADO INTERNACIONAL DA SOJA: MODELANDO OS EFEITOS DOS CUSTOS DAS TRANSAÇÕES E DAS BARREIRAS COMERCIAIS

Maria Inês Caetani, Augusto Mussi Alvim

Resumo


Este estudo analisa os impactos dos custos das transações e das barreiras comerciais no mercado internacional da soja.  Para atingir tal objetivo, utiliza-se um modelo de equilíbrio parcial formulado como um Problema de Complementaridade Mista (PCM) o qual permite a construção de cenários alternativos.  São definidos três cenários: no primeiro eliminam-se os custos das transações comerciais; no segundo, retiram-se as barreiras tarifárias e os subsídios; e no terceiro é simulado um choque de demanda de 20%. Os resultados mostram que a eliminação dos custos das transações comerciais resulta em um aumento na produção de soja no Brasil, na Argentina e na China e um maior consumo nos Estados Unidos e na UE. No cenário de livre comércio observa-se que as mudanças em termos de produção e consumo são reduzidas, o que reflete as características das políticas adotadas pelos principais países produtores e consumidores. A simulação do choque de demanda, definido com base nas expectativas de incremento no consumo de farelo, óleo e biodiesel, mostra que o Brasil é o único país exportador que apresenta um maior incremento no consumo do que na produção, refletindo em uma menor participação no comércio mundial de soja.


Palavras-chave


barreiras comerciais; custos das transações comerciais; PCM; soja

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.62501

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456