CAPACIDADE DE ABSORÇÃO E CANAIS DE INTERAÇÃO UNIVERSIDADE-EMPRESA: UMA ANÁLISE EMPÍRICA PARA EMPRESAS NO RIO GRANDE DO SUL

Andréia Cunha da Rosa, André Luiz da Silva Teixeira, Janaina Ruffoni, Márcia Siqueira Rapini

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar de forma pioneira a interação entre as dimensões da Capacidade de Absorção (CA) da empresa, os canais de troca de informação e conhecimentos com as universidades e os resultados da inovação para a firma. A partir de informações coletadas de empresas localizadas no Rio Grande do Sul que interagiram com universidades e o uso do método de Componentes Principais Categóricos, foram identificadas especificidades das dimensões da CA de acordo com o canal utilizado pela empresa. Constatou-se que: (1) empresas que interagem via consultoria possuem maiores capacidades de assimilação; (2) quem interage via pesquisa conjunta tem maior capacidade de aquisição e exploração; (3) quem interage via canais ligados à “universidade empreendedora” não possui capacidades absortivas distintas das demais. Comprovou-se também que quem inova em produto e processo tem maior capacidade de assimilar, transformar e explorar o conhecimento externo.

Palavras-chave


Capacidade de absorção da firma; Canais de troca de conhecimento e informação; Interação universidade-empresa

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.57042



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456